09.01.2019 | 16h13


SUCESSO ACADÊMICO

Curso de Medicina Univag é nota máxima em avaliação do MEC

De todos os cursos de Medicina existentes no país, tanto nas universidades públicas e privadas, apenas 10% possuem Conceito de Curso 5 e o Univag está entre elas.



O Curso de Medicina do Univag - Centro Universitário de Várzea Grande recebeu nota 5, a máxima na avaliação Conceito de Curso do Ministério da Educação (MEC), realizada no início de dezembro.

De todos os cursos de Medicina existentes no país, tanto nas universidades públicas e privadas, apenas 10% possuem Conceito de Curso 5 e o Univag está entre elas.

Segundo o vice-reitor instituição, professor Flávio Foguel, o resultado positivo é fruto do trabalho realizado pelos colaboradores. “Esses profissionais trabalham com muita competência, dedicação e comprometimento, materializando assim cotidianamente a nossa excelência educacional”, afirmou.

Para o coordenador do Curso de Medicina, professor Msc. Paulo Nogueira, a nota recebida é reflexo de um trabalho em conjunto entre a instituição e os alunos.

"A nota máxima no curso de Medicina se dá pela organização didática e pedagógica, pelo ensino inovador, o incentivo a pesquisas e projetos científicos, além da qualidade do corpo docente. A infraestrutura do curso, que inclui laboratórios modernos, convênios hospitalares e a Clínica Integrada são quesitos essenciais para manter um padrão elevado de ensino que atenda as exigências do MEC", pontuou.

Entre os critérios avaliados está a qualidade do curso, o corpo docente, projeto pedagógico e a estrutura da instituição. As notas de avaliação do MEC vão de 1 a 5. O Univag recebeu nota cinco em todos os requisitos.

A avaliação do MEC é feita in loco e baseada na análise das condições de ensino, em especial àquelas relativas ao corpo docente, as instalações físicas e ao projeto pedagógico.

Além do conceito máximo, o curso chama atenção pela formação mais humanística e abrangente.

A Aprendizagem Baseada em Problemas (PBL – Problem Basic Learning, sigla em inglês) coloca o acadêmico como sujeito ativo no processo de ensino-aprendizagem e a inserção precoce em práticas na comunidade como principais estratégias para alcançar esses objetivos.

No PBL, os alunos discutem casos clínicos semanais nas tutorias. O aprendizado é aprofundado nos laboratórios de habilidades (médicas, de comunicação e informática) e morfofuncional (integração das disciplinas de anatomia, histologia, patologia e imagens), realizados em conjunto com o atendimento da comunidade.

 

 











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

João Pedro  10.01.19 16h38
É incrivelmente absurda essa avaliação, visto que um curso tão mal estruturado como é o da Medicina Univag. Primeiramente, pelo seu corpo docente cuja qualificação é composta em sua maioria por recém especialistas, com baixo indíce de mestrado, doutorado. A outra questão é que ainda não tem nenhuma turma formada, o que dá baixa credibilidade em mercado de trabalho. Segundo ponto: Não possuem hospital universitário e os alunos aventuram-se em unidades de saúde sem suporte em Cuiabá e Várzea Grande. Em suma, é uma grande farsa essa avaliação, esse curso não chega nem aos pés de uma instituição médica formadora de conhecimento como é no HCFMUSP, EPM, SCMSP.

Responder

9
5
Carlos Souza  11.01.19 16h35
Disse tudo, chega ser alienante acreditar que um curso em uma instituição privada em Várzea Grande seja considerada uma das melhores dos país. Univag não tem credibilidade em nada no mercado e esse curso é sequer conhecido no país.

Responder

5
2

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER