10.10.2018 | 08h52


MUNDO

Casal de serial killers é preso levando corpos em carrinho de bebê

Há a suspeita de que eles desovavam os corpos em cubos cheios de cimento, em baldes e em um frigobar



O choque causado pela prisão de um casal carregando corpos humanos em um carrinho de bebê no México não foi maior que a suspeita de que eles tenham matado juntos ao menos 10 mulheres e vendido pedaços dos corpos das vítimas.

“São fatos inéditos, nunca havíamos nos deparado com tal coisa antes”, disse o promotor do Estado do México Alejando Gómez Sánchez à BBC. Os dois, identificados como Juan Carlos e Patricia, foram detidos na última quinta-feira (4/10).

Quatro bolsas de plástico com restos humanos foram encontradas no apartamento do casal, em uma propriedade próxima e em um terreno baldio. Há a suspeita de que eles desovavam os corpos em cubos cheios de cimento, em baldes e em um frigobar e os vendiam.

Os investigadores tentam identificar quem os compravam. Juan Carlos confessou ter matado 20 mulheres no município de Ecatepec, na região metropolitana da Cidade do México, o que fez a polícia classificar o caso como “feminicídios em série”.

A prisão aconteceu após o desaparecimento, em setembro, de Nancy Huitron, de 28 anos, e de sua filha, de apenas dois meses de idade, Valentina. Além de ter confessado o assassinato de Huitron, Carlos também afirmou ter matado Arlet Olguín, de 23 anos, e Evelyn Rojas, de 29 anos. A criança foi encontrada e deixada aos cuidados da avó.

Antes de serem apresentados à imprensa, os dois pediram para tomar banho e trocar de roupa, alegando que não eram um “casal sujo”. A polícia acredita que todas as vítimas conheciam Juan e Patricia, de quem compravam roupas e comida.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER