09.01.2017 | 08h05


NOVO SECRETÁRIO

Max Russi assume Assistência Social e pode auditar contratos

Maiores problemas da pasta estão relacionados ao orçamento. O gestor afirma que o momento é de cautela devido às mudanças que ocorrerão


DA REDAÇÃO

O deputado licenciado Max Russi (PSB), que esta semana assumiu a Secretaria de Trabalho e Assistência Social, declarou ao que está fazendo uma vistoria em toda a pasta, fato que pode possibilitar em uma auditoria geral, já que os principais problemas da Secretaria estão relacionados ao orçamento, que é de cerca de R$ 92 milhões.

A ação de auditoria em contratos é uma determinação do governador Pedro Taques (PSDB) em todas as pastas, no intuito de que cada novo secretário conheça a realidade encontrada.  

“Estamos trazendo com a reforma o Procon, os Conselhos e a parte socioeducativo da Secretaria de Estado de Justiça e Direito Humanos (Sejudh). A partir disso a Setas passará a chamar Secretaria de Desenvolvimento Humano e Social”, disse Russi.

Para conhecer melhor os trabalhos e as alternativas a serem tomadas, Russi diz que tem promovido constantes reuniões com adjuntos e técnicos da pasta.

O novo secretário afirma que o momento é de cautela já que com a reforma administrativa do Governo, a Setas vai passar a responder pelo sistema penitenciário do Estado.

A alteração deve entrar na pauta de votação da Assembleia Legislativa, na próxima semana. 

“Estamos trazendo com a reforma o Procon, os Conselhos e a parte socioeducativo da Secretaria de Estado de Justiça e Direito Humanos (Sejudh). A partir disso a Setas passará a chamar Secretaria de Desenvolvimento Humano e Social”, disse Russi, reforçando que a Setas só terá a nomenclatura alterada quando a reforma for aprovada.

Antes da mudança, o secretário ressalta que a atuação da Setas continua a mesma, cuja função é atender as demandas das famílias mais necessitadas, fazendo com que os serviços e programas cheguem até a ponta.

Russi destaca que sua gestão irá dar continuidade ao trabalho já desenvolvido, mantendo grande parte do pessoal que já desenvolve as políticas públicas da Setas.     

“Nossa função é cuidar de quem precisa. Nossa ideia não é cuidar de pessoas ricas e que ganham bem, mas sim do cidadão pobre. É isso que nós iremos fazer com nossa estrutura”, frisou o secretário.  

Max Russi terá um ano e três meses no secretariado do governo Pedro Taques (PSDB) para aplicar sua nova dinâmica na pasta. Ele volta aos serviços legislativos em março de 2018 para tentar a reeleição como deputado. 











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Servidor  09.01.17 23h24
Faça essa auditoria para ver o quanto o outro gestor só tem cara de bonzinho. Incompetência pura

Responder

0
0

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER