Cuiabá, 17 de Janeiro de 2017

Facebook Twitter Rss
03.01.2017 | 12h49
A- | A+


POLÍTICA / CORTES NO ALENCASTRO

Emanuel exonera comissionados da Prefeitura e promete reduzir número em 50%

Medida ocorreu por decreto. O prefeito aponta que há excessos e por isso promete nomear apenas a metade do quadro anterior


RAFAEL DE SOUSA

RepórterMT

Clique para ampliar

Emanuel Pinheiro diz que vai cortar cargos em todas as pastas

No primeiro dia de sua gestão, o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (PMDB) exonerou, nesta segunda-feira (2), por meio de decreto todos os comissionados do Município de Cuiabá, nomeados até 31 de dezembro.

“Cuiabá tem 712 cargos comissionados. Eu quero reduzir isso em 50%, mas não extinguir os cargos, segurar em virtude do ajuste fiscal”, afirmou.

 

O documento não precisa o número de exonerados. Segundo o prefeito, atualmente o município contava com 712 comissionados, mas o decreto tem exceções nas demissões, que não incluem cargos de direção administrativa financeira e coordenadores administrativos das secretarias; o gerente da folha de pagamento da Secretaria de Gestão e os gestores de fundos vinculados às pastas de Saúde, Educação e Assistência Social.

 

Novas contratações, para substituir os que saíram, ainda não foram efetivadas.

 

Em discurso durante a posse de seu secretariado, Emanuel avisou que iria  cortar 50% dos cargos comissionados da Prefeitura de Cuiabá.

A medida aguarda apenas o resultado de um estudo que está sendo feito por uma “equipe de corte de gastos”, segundo o prefeito.

“Cuiabá tem 712 cargos comissionados. Eu quero reduzir isso em 50%, mas não extinguir os cargos, segurar em virtude do ajuste fiscal”, afirmou.

“Pelo menos 50% a 60% dos cargos comissionados ali nos Serviços Urbanos estão ou podem estar em excesso. Em outras pastas pode ter até mais”, enfatizou.

O prazo para que o corte no número de servidores seja oficializado será de três meses, conforme decreto que será baixado nos próximos dias pelo prefeito.

“Eu vou aguardar com prudência, pela própria estabilidade da gestão, e vou determinar no decreto um prazo de 90 dias para a minha equipe entregar um estudo dessa redução, em virtude do momento de ajuste fiscal e de estabilidade, de controle dos gastos que nós precisamos ter”, explicou Emanuel.

Cortes nos setores

De acordo com o discurso do novo prefeito, a redução do efetivo deve começar pela Secretaria de Serviços Urbanos, da qual José Roberto Stopa, remanescente da gestão Mauro Mendes, é o chefe.

“Eu determinei um projeto piloto para ele. Eu falei: Stopa, a sua pasta tem 35 cargos comissionados. Apresente um estudo para mim de qual o mínimo que você consegue tocar a pasta com a mesma produtividade com que ela está. (...) Ele apresentou para mim e eu vou nomear sete. Com sete pessoas, ele vai fazer o trabalho que as 35 fazem”, adiantou.

Pinheiro acrescentou ainda que esse excesso de servidores comissionados pode ser ainda maior em outras pastas.

“Pelo menos 50% a 60% dos cargos comissionados ali nos Serviços Urbanos estão ou podem estar em excesso. Em outras pastas pode ter até mais”, enfatizou. 



COMENTÁRIOS









Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER