18.06.2017 | 09h29


MORTO A FACADAS

Professor tinha relacionamento com assassino, diz polícia de Tangará da Serra

O professor de Educação Física, Valdir Andrade, 46, foi morto dentro de casa, na cidade de Tangará da Serra (239 km a Médio-Norte de Cuiabá), na noite de sexta-feira (16).



A Polícia Civil prendeu na noite de sábado (17), Wankley Borges Mattei, 18, e um menor de 16 anos, acusados de assassinar com oito facadas, o professor de Educação Física, Valdir Andrade, 46, na cidade de Tangará da Serra (239 km a Médio-Norte de Cuiabá), na noite de sexta-feira (16).

De acordo com a polícia, houve luta corporal dentro da casa do professor e as investigações apontam que o possível autor do crime seria um convidado da vítima. Além do carro, o celular do professor também desapareceu.

O delegado João Romano afirmou que um dos primeiros a levantar suspeita foi o menor, que foi um dos primeiros a prestar depoimento e chegou a negar ter participado do assassinato.

No entanto, os indícios eram muito fortes e ele confessou participação direta no crime e ainda mencionou o nome de Wankley, preso na sequência.

“Wankley, a princípio, nega a autoria do homicídio, mas ele se coloca no local do crime, assume que dirigiu o veículo da vítima e confessa que o automóvel era um dos objetivos do crime. Ambos são usuários de drogas e os objetos que eles subtraíram foram ou seriam utilizados para a troca por entorpecentes”, disse o delegado à imprensa local.

“Ele assumiu que tinha uma proximidade categórica com a vítima, então ele tinha livre acesso à residência e sabia os objetos de valor que tinha na casa, o que possibilitou que eles tramassem um estratagema para o homicídio e para se apossarem dos bens da vítima”, completou o delegado.

De acordo com João Romano, o menor assumiu que tinha um relacionamento homoafetivo com o professor.

“Ele assumiu que tinha uma proximidade categórica com a vítima, então ele tinha livre acesso à residência e sabia os objetos de valor que tinha na casa, o que possibilitou que eles tramassem um estratagema para o homicídio e para se apossarem dos bens da vítima”, completou o delegado.

Ainda segundo Romano, o adolescente apresenta ferimentos nas duas mãos e que pode ter sido o seu sangue encontrado pela Politec nas ruas próximas ao local do crime, chegando a até 200 metros da casa do professor.

“Isso denota que a vítima, a princípio, resistiu e acabou executada sem piedade e isso mostra também que o adolescente não teria conseguido executar a morte sozinho, isso mostra que os dois indivíduos executaram o crime juntos”.

O delegado ainda afirmou que havia no corpo do professor marcas de golpe de faca no pescoço e na região entre o tórax e abdômen.

O carro da vítima foi localizado na região do Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja), próximo à casa do infrator.

O delegado pediu a prisão em flagrante de Wankley, como forma preventiva, e a apreensão do menor.

Os criminosos possuem diversas passagens pela polícia.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER