24.06.2019 | 08h18


2 MESES DE EXECUÇÕES

Presos do Pascoal Ramos ordenaram mortes e causaram terror em Sinop

Conforme o delegado, as ordens foram dadas com uso de celulares. Cinco foram mortos em dois meses.


DA REDAÇÃO

Cinco assassinatos, na mesma região em Sinop (a 500 km de Cuiabá), foram ordenados, entre os meses de março e maio, por lideranças da facção Comando Vermelho, que estão presos na Penitenciária Central de Estado (PCE), o antigo Presídio Pascoal Ramos, na Capital.

A organização criminosa foi desarticulada pela Polícia Civil após a deflagração da Operação Plano Mortal, na quarta-feira (19). Tiveram mandados cumpridos na PCE em Cuiabá, João Luís Baranoski e Leonardo dos Santos Pires, identificados como líderes do grupo criminoso na região de Sinop, onde foram presos Elton Rodrigues da Silva, Hailton Viana de Paula, Natanael Silva Reis e Viner dos Santos Alves.

“Começamos a cruzar as informações, fazer levantamentos, inclusive conseguimos verificar que essas ordens partiram de dentro do presídio. Para a gente ver o quão danoso é um celular dentro de uma penitenciária”, disse o delegado Carlos Eduardo Muniz dos Santos, que esteve à frente das investigações.

Os crimes ocorreram tendo como vítimas, Luiz Nei da Silva, Pablo Henrique Buenos Soares, João Marcos D Ávila Câmara, Fabrício Cardoso Pereira e Dener Patrick Aparecido.

"Conseguimos verificar que essas ordens partiram de dentro do presídio. Para a gente ver o quão danoso é um celular dentro de uma penitenciária”, disse o delegado.

Ainda conforme o delegado, as motivações dos assassinatos são várias.

“O envolvimento delas se dá de diversas formas. Ou estão incluídas dentro da organização ou por alguma razão eles receberam essa penalidade de morte, ou possuíam alguma dívida com a organização, ou mesmo, são de facções rivais. Então, identificamos diversas situações que levaram a esses casos”, afirma.

Operação

Deflagrada na manhã de quarta-feira (19), a Polícia Civil de Sinop, com apoio da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), deu cumprimento a seis mandados de prisão, sendo quatro em Sinop e dois na Penitenciária Central do Estado, em Cuiabá, além de 10 mandados de busca e apreensão domiciliar e uma ordem de apreensão contra um menor.

Segundo o delegado, dois dos alvos identificados, que também seriam presos na operação, morreram nos últimos dias em virtude do envolvimento em crimes.

"A operação é eminentemente contra a facção criminosa que tem forte atuação na região e que no período de dois meses foi responsável por cinco homicídios ocorridos em Sinop", disse o delegado.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER