12.04.2018 | 13h40


VÁRZEA GRANDE

Polícia Federal apura desvios da previdência na gestão Walace Guimarães

A Previdência de Várzea Grande informou que houve aplicações irregulares ou duvidosas na época em que Walace Guimarães era o prefeito.


DA REDAÇÃO

A Prefeitura de várzea Grande foi um dos alvos da Operação Encilhamento, deflagrada pela Polícia Federal de São Paulo para acabar com um esquema de fraudes envolvendo a aplicação de recursos de Institutos de Previdência Municipais. Os desvios teriam ocorrido na gestão do ex-prefeito Walace Guimarães, que teve o mandato cassado pela Justiça Eleitoral em maior de 2015 por captação e gastos ilícitos de recursos para fins eleitorais.

A operação foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (12). Conforme a PF, as documentações eram emitidas por empresas de fachada. O esquema teria gerado prejuízos na casa de R$ 1,3 bilhão.

A Secretaria de Comunicação Social de Várzea Grande afirmou que a Previdência de Várzea Grande (Previvag) encaminhou diversos documentos para os órgãos de fiscalização e que foi comprovado aplicações irregulares ou duvidosas no Fundo Previdenciário.

A Prefeitura explicou que as irregularidades foram constatadas nos anos de 2013 e 2014 – período em que Walace Guimarães era prefeito da cidade.

A operação da Polícia Federal cumpriu, ao todo, 0 mandados de busca e apreensão e 20 mandados de prisão temporária expedidos pela 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo, nos estados de SP, RJ, MG, PR, MT, SC e GO.

Estão sendo investigados, até o momento, 13 fundos de investimento. No 2º semestre de 2016 foi constatada a existência de R$ 827 milhões em apenas oito destes fundos, dinheiro que, em última análise, destina-se ao pagamento das aposentadorias dos servidores municipais.

Leia nota da Prefeitura de Várzea Grande na íntegra

A Secretaria de Comunicação Social de Várzea Grande em relação o Previvag tem o seguinte a esclarecer.

* A Previdência de Várzea Grande - PREVIVAG, desde a posse da atual gestão, adotou medidas de transparência em sua atuação e nos dados públicos principalmente quanto ao fundo previdenciário que mantém as aposentadorias, pensões e benefícios de seus segurados;

* Informações encaminhadas pela atual administração e gestão do Previvag para órgãos de controle como o Tribunal de Contas de Mato Grosso, Ministério Público de Mato Grosso, Controladoria Geral entre outros apontavam para aplicações de recursos do Fundo Previdenciário de forma irregular e duvidosa;

* Essas aplicações supostamente datariam do período dos anos de 2013 e 2014, mas precisam ser confirmados.

* Por decisão judicial, a Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão de documentos para averiguação dos dados e comprovação dos fatos.

Em respeito a solicitação da Polícia Federal para a não manifestação enquanto perdurar as investigações, a Secretaria de Comunicação Social de Várzea Grande cumprindo determinação superior ,em se dar total transparência aos fatos, aguardará manifestação dos órgãos de controle para então se manifestar em definitivo.

Leia mais

PF cumpre mandados de prisão em MT por esquema de R$ 1,3 bilhão











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Luiz Dutra  14.04.18 18h03
Pra mim não é novidade nhenhuma o desfalque ocorrido entre os anos de 2013 e 2014 no PREVIVAG, durante a gestão do ex-Prefeito Wallace Guimarães, que aprontou a maior bandalheira da historia de V.Grande, nos ultimos 50 anos. Tento é que ele teve o seu mandato de Prefeito cassado pelo TRE-MT por lavagem de dinheiro,corrupção ,e compra de votos nas eleições de 2012. Aliás demorou muito ocorrer essa operaçao por parte da Policia Federal .Cadeia Nelles

Responder

1
0

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER