28.11.2018 | 16h09


ENTERRADO EM MATAGAL

Polícia encontra corpo de decorador que estava desaparecido há 43 dias


DA REDAÇÃO

O corpo do decorador Edinalmo Alves de Oliveira, conhecido como Nalmo, de 55 anos, foi encontrado pela polícia na tarde desta quarta-feira (28), enterrado em um matagal no bairro Parque Del Rey, em Várzea Grande.

Nalmo, como era conhecido, estava desaparecido há 43 dias. O caso foi registrado na Polícia Civil após uma irmã chegar de viagem em Cuiabá e não ter notícia da vítima.

Familiares faziam campanha na internet desde o dia 17 de outubro para tentar localizar o decorador.

Conforme apurado pelo , o caso é investigado pela Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos Automotores (DERFVA) e a principal suspeita é de que o crime se trata de um latrocínio – roubo seguido de morte.

RepórterMT/PJC

Ednalmo Alves de Oliveira

Ednalmo estava desaparecido desde o dia 17 de outubro.

 

Um dos autores do crime, identificado como Fabio Machado de Oliveira, 38 anos, foi preso, confessou o assassinato e indicou para a polícia o local onde o corpo foi enterrado.

A Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) iniciou os trabalhos de análise da cena do crime e vai emitir laudo nos próximos dias com as causas da morte. 

O suspeito será novamente interrogado nesta quinta-feira (29) pelo delegado Caio Fernando Álvares de Albuquerque, que preside o inquérito policial. Ele responderá por roubo seguido de morte (latrocínio) e ocultação de cadáver.

Desde o início, a Polícia Civil trabalhava com a hipótese de a vítima estar morta. “O carro dele foi subtraído. Na semana seguinte ao desaparecimento o veículo estava em posse de uma pessoa. Esse rapaz foi preso quando tentava vender o carro roubado, além de usar o cartão da vítima para fazer saques e empréstimos em agencias bancárias”, disse o delegado Caio Fernando Álvares de Albuquerque, adjunto da DERRFVA.

O acusado está com prisão temporária (30 dias) e terá pedido para a conversão em prisão preventiva.

“As investigações continuam tanto para apurar as circunstâncias do fato quanto para eventuais coautores”, finalizou o delegado.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER