13.09.2010 | 13h53


Picos de energia estouram duas adutoras



Caroline Lanhi
Da Redação

Duas adutoras de água que abastecem Cuiabá estouraram na madrugada desde domingo devido a 7 picos de energia. O incidente interrompeu o abastecimento de água na maior parte da Capital que deve ficar comprometido durante as próximas 48 horas. De acordo com o diretor técnico da Companhia de Saneamento da Capital (Sanecap), Álvaro Dias, os picos de energia causaram danos em adutoras nas Estações de Tratamento de Água (ETA) do Tijucal, que abastece as regiões norte e sul, e do São Sebastião, localizada na área central da cidade e que é responsável por 60% do abastecimento de Cuiabá.

Conforme explica Álvaro, esses picos de energia paralisam temporariamente o funcionamento das bombas e, quando a energia retorna, a água passa pelas adutoras com pressão capaz de romper a tubulação, o chamado "golpe de ariete". Foi o que aconteceu neste final de semana. Ainda assim, o diretor da Sanecap garante que em acidentes como esse a falha não é da Sanecap, mas da empresa responsável pelo fornecimento da energia.

Cemat - Procurada neste domingo (12) para falar sobre o assunto, a gerência de comunicação da Centrais Elétricas Mato-Grossenses (Cemat) informou que somente nesta segunda-feira (13) será possível possível averiguar as ocorrências que aconteceram no fim de semana e, então, se pronunciar oficialmente sobre os problemas ocasionados pela oscilação de energia.

Reparos - Segundo a Sanecap, as obras de reparo foram iniciadas no domingo de manhã com meta de conclusão para a noite do mesmo dia. Entretanto, o abastecimento só será normalizado dentro de 48h, pois é o tempo necessário para que a água chegue até as casas.

A companhia de água acredita que não faltará água nas residências se as pessoas a utilizarem com bom senso, por isso pede que a população seja consciente e não desperdice o líquido lavando calçadas, carros ou deixando a torneira aberta sem necessidade.

Sem água- Além de afetar a região central, o rompimento de uma adutora da ETA do Tijucal vai prejudicar moradores de diferentes bairros periféricos, entre eles os do 1º de Março, que no sábado (11) se reuniram para comemorar o novo sistema de água da região. O bairro, formado por aproximadamente 8 mil pessoas, era abastecido com água de poço artesiano e passaria a receber água da ETA a partir desse final de semana caso não tivesse ocorrido esse incidente.

As obras das linhas de adutoras que ligam a ETA ao reservatório do 1º de Março foram concluídas na última sexta-feira (10), mas com menos de 2 dias de funcionamento já deve receber reparos.

Outra comunidade que deve sair prejudicada com o rompimento ocasionado pelos picos de energia é a do Altos da Glória, que há aproximadamente um mês sofria com a escassez de água que chegava às casas escura e com um mau cheiro forte. A população do bairro, que é de baixa renda, precisou comprar água para beber e utilizar a água contaminada apenas para a limpeza.

Na ocasião, a Sanecap já anunciava a conclusão da obra que consistia em instalar uma adutora de 1,4 mil metros para ligar a ETA do Tijucal a um reservatório de 5,2 milhões de litros construído no Altos da Serra, abastecendo também o 1º de Março, Doutor Fábio, Três Barras e adjacências.

Dificuldades - A oscilação de energia que, segundo a Sanecap, resultou em prejuízos para a rede de água, agrava ainda mais a situação vivida pelos cuiabanos. Em matéria publicada no jornal A Gazeta em agosto deste ano, o professor de sistema de abastecimento de água da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), José Carlos de Musis, afirmou que cerca de 200 mil moradores da Capital têm um sistema de abastecimento de água deficiente ou não fazem parte da rede.

Na reportagem, Musis lembra ainda que em Cuiabá não falta água, pelo contrário, sobra. E que que o potencial de produção de água é capaz de suprir a necessidade da Capital por mais 10 anos.

Segundo o especialista, para abastecer as 600 mil pessoas que moram na cidade, são necessários 1,8 mil litros por segundo de água e a Sanecap consegue produzir aproximadamente 3 mil litros por segundo, 40% a mais do que o necessário.

Na ocasião, a gerente de projetos da companhia, Mariane Borges de Camposa, afirmou que a empresa de água pretende solucionar esse problema dentro 2 anos, contados a partir da data de retorno das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Tais obras compreendem construção de adutores e padronização das ligações, evitando o desperdício da água entre as tubulações e o registro da residência.

A Sanecap defende ainda que a situação vivida por Cuiabá se deve aos 20 anos em que o serviço de abastecimento de água ficou esquecido pelos governos. Outro agravante considerado pela empresa é o clima da Capital, que estimula o alto consumo.

Serviço - Mais informações sobre a interrupção no abastecimento de água podem ser obtidas pelos telefones 3645-9700/ 9754 e 9755. O então pelo 115 que está à disposição 24 horas.

Cuiabá tem 12 ETAs. A água que abastece a Capital é proveniente dos rios Cuiabá, Coxipó e Coxipó Açu que proporcionam 9.790 m3 de água por hora e quase 7 milhões de metros cúbicos por mês.

 

79 poços servem como fonte de água e recebem tratamento.

 

 

 

 

 

Fonte: A Gazeta 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER