05.10.2016 | 15h11


DESVIOS NA ASSEMBLEIA

Gaeco deflagra operação e prende chefe de gabinete de deputado Romoaldo Júnior

Ação faz parte da segunda fase da Operação Ventríloquo, que apura desvio de R$ 9,4 milhões da Assembleia Legislativa. O principal investigado, José Riva, afirmou que o deputado Romoaldo Júnior teria recebido R$ 1,5 milhão por meio de 'laranja'.


DA REDAÇÃO

O Gaeco - Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado, composto por promotores de Justiça, delegados de Polícia, policiais militares e civis, deflagra neste momento a segunda fase da Operação Ventríloquo, denominada "Filhos de Gepeto".

Na tarde desta quarta-feira (05), foi cumprido mandado de prisão preventiva e busca e apreensão expedido em desfavor de Francisvaldo Mendes Pacheco, chefe de gabinete do deputado estadual Romoaldo Júnior (PMDB). 

A assessoria jurídica do gabinete afirmou ao que nenhum outro servidor, ligado ao deputado Romoaldo, foi conduzido pelo Gaeco.

ROMOALDO X VENTRÍLOQUO

Em depoimento à juíza Selma Rosane Arruda, da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, o ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Riva, principal investigado da Operação Ventríloquo, que apura desvios de R$ 9,4 milhões, afirmou que no esquema, o deputado Romoaldo Júnior teria recebido R$ 1,5 milhão do dinheiro desviado.

Riva também afirmou que os deputados Guilherme Maluf (PSDB), Gilmar Fabris (PSD) e a então deputada Luciane Bezerra (PSB) também teriam sido beneficiados pelo esquema, que teria sido 'conduzido' pelo deputado Mauro Savi (PSB).

Segundo Riva, todos teriam recebido através de ‘laranjas’, em sua maioria servidores da Assembleia.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER