21.05.2019 | 15h11


CÁRCERE PRIVADO

Empresário espancou e estuprou filha de ex-secretário por 2 dias

Conforme boletim de ocorrência, a terapeuta V.O.P. de 39 anos, foi agredida pelo ex no início de maio em encontro do casal, que estava separado há seis meses.


DA REDAÇÃO

A terapeuta V.O.P., 39 anos, que é filha do ex-secretário de Estado, Luiz Antonio Pagot, confirmou, em boletim de ocorrência, ter sido estuprada, espancada, além de ter sido mantida em cárcere privado durante dois dias. Pagot foi secretário-chefe da Casa Civil e ex-diretor geral do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte), durante a gestão de Blairo Maggi.

O acusado pelos crimes é o ex-namorado dela, o empresário Breno Pereira Alves, que teve o mandado de prisão decretado pela Juíza, Ana Graciela Vaz de Campos Alves Correa, da 1ª Vara Especializada de Violência Contra a Mulher, de Cuiabá, proferido na última segunda-feira (20). Desde então ele é considerado foragido.

De acordo com os relatos da vítima, ela se relacionou com o empresário pelo período de um ano e estavam separados há seis meses. No dia 5 de maio, eles combinaram encontro no apartamento dele, em Cuiabá, para conversar e tentar reatar o relacionamento.

Segundo depoimento da filha dele, durante o encontro com o ex-namorado houve uma relação sexual consensual, mas depois ela foi impedida de ir embora, quando afirmou que não queria mais se relacionar com o empresário, pois teria outra pessoa. O empresário também estaria se relacionando com a ex-namorada, conforme a vítima.

Breno teria se irritado e passado a espancar a vítima. Em depoimento para registro do boletim de ocorrência, ela diz que apenas “se calou e deixou ele bater”.

Dentre as sessões de espancamento, também teria acontecido um estupro violento.

Ela afirma que só conseguiu sair do cárcere após uma amiga ligar, o agressor atender e a vítima gritar por socorro ao fundo.

Leia mais

Juíza decreta prisão de empresário por espancamento e cárcere de filha de Pagot











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER