08.02.2019 | 08h07


DESAPARECIDA HÁ 14 DIAS

Corpo de professora é localizado em terreno baldio; Namorado é preso

A mulher foi morta pelo ex-namorado, o empresário Alessandro Lautclenguer. Ainda não se sabe como a professora foi morta, por conta do estado do corpo, mas a polícia acredita em facadas e estrangulamento.


DA REDAÇÃO

A Polícia Civil localizou o corpo da professora Rosângela da Silva, de 32 anos, em um terreno baldio as margens da MT-249 em Nova Mutum (230 km de Cuiabá), na noite desta quinta-feira (7). Ela havia desaparecido há duas semanas, sem deixar pistas. Rosângela foi morta pelo ex-namorado, o empresário Alessandro Lautclenguer, de 31 anos, que não aceitava o término do relacionamento. Ele foi preso em Foz do Iguaçu (PR) quando tentava fugir para o Paraguai.

Apesar do acusado não ter confessado o crime, os indícios eram fortes e os policiais continuaram as buscas em região de mata, nas redondezas do município. O corpo foi localizado já em estado avançado de decomposição. Ainda não se sabe como a professora foi morta, por conta do estado do corpo, mas a polícia acredita em facadas e estrangulamento. 

Familiares da professora reconheceram a vítima pela roupa, tatuagem e outros pertences pessoais como relógio e joias. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML).   

Bastante abalada emocionalmente, a irmã da vítima, Quitéria Belamino,  agradeceu o trabalho da polícia e destacou o término da angustia que os familiares tinham ao não ter notícias de Rosângela. “Pelas informações do caso já não tínhamos esperança de encontrar ela (Rosângela) vida. Agora fica a dor do enterro e as boas lembranças”, lamentou.

O CASO

Preso, Alessandro já foi interrogado por carta precatória ao delegado Rodrigo Rufato e não confessou o crime.

No entanto, no dia 25 de janeiro, dia do desaparecimento da professora, ele foi visto com ela dentro do carro HB20.

Com o sumiço, amigos o questionaram, mas ele respondeu que não sabia do paradeiro dela.

À Polícia, amigos e familiares disseram que Rosangela ficou quatro meses junto com o empresário. O relacionamento era conturbado e os dois brigavam sempre.

Com as ameaças de morte do acusado, a mulher chegou a registrar uma denúncia contra ele e chegou a ganhar uma medida protetiva.  

LEIA MAIS AQUI

Delegado suspeita que professora desaparecida tenha sido morta por ex

 

 

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER