15.03.2019 | 17h30


ESTUPRADA POR OITO ANOS

Casal obrigava filha adotiva a participar de relações sexuais

A vítima tem 14 anos e era estuprada desde os 06. Casal foi preso pela Polícia Civil de Sorriso.



Pai e mãe acusados de abusar sexualmente da filha adotiva há mais de oito anos foram presos pela Polícia Judiciária Civil, nesta sexta-feira (15), em ação do Núcleo de Defesa da Mulher e Crimes Sexuais de Sorriso (442 km ao Norte). Na residência do casal, investigado pelos crimes de estupro de vulnerável e pedofilia, foram apreendidos aparelhos e mídias digitais relacionadas ao crime.

Os acusados tiveram mandados de prisão decretados pela Justiça por estupro de vulnerável, em virtude de investigação da Delegacia de Sorriso, coordenadas pelo delegado Nilson André Farias de Oliveira.

Segundo as investigações, os pais adotivos obrigavam a filha, atualmente com 14 anos de idade, a participar de relação sexual com eles desde os 06 anos de idade. De acordo com as informações levantadas, há 20 anos, o pai também teria estuprado o próprio irmão, que à época ainda era criança.

Após o Ministério Público e o Poder Judiciário acatarem o pedido de prisão preventiva, os policiais do Núcleo de Defesa da Mulher e Crimes Sexuais de Sorriso foram até a casa, no município de Ipiranga do Norte, onde cumpriram os mandados.

Nolocal foram apreendidos 10 aparelhos celulares, duas máquinas digitais e uma CPU, que passarão por perícia, para apurar o envolvimento do casal com crimes de pedofilia.

Leia também

Pai invade quarto e estupra filha de 4 anos; mãe acoberta crime











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Enquete

R$ 65 MILHÕES

Você é a favor ou contra o corte de Bolsonaro no orçamento da UFMT e IFMT?

Sim, só produzem baderna

Não, vai piorar o nível dos cursos

Sim, a maior parte do gasto é com altos salários de servidores

Não, deveria aumentar os investimentos

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER