24.05.2019 | 10h20


MORTA COM 4 TIROS

Assassino de travesti vai a júri popular por crime de ódio por homofobia

O réu matou a vítima após passar por um grupo de travestis e proferir xingamentos. Tábata revidou e ele voltou e a assassinou.


DA REDAÇÃO

Valdinei Souza da Silva, conhecido como 'Vavá', de 25 anos, vai a júri popular, nesta sexta-feira (24), por homicídio e crime de ódio, contra a travesti Tabata Brandão, de 30 anos, no Fórum de Rondonópolis (218 km da Capital).

Conforme a denúncia do Ministério Público Estadual (MPE), o réu cometeu o crime de forma consciente e voluntária, por motivo torpe e de modo que impossibilitou a defesa da vítima. Nas investigações realizadas pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), ficou comprovado o crime de ódio, por homofobia, devido à orientação sexual da vítima.

Valdinei foi preso, em 2017, em uma ação conjunta da Polícia Judiciária Civil (PJC), Polícia Federal (PF) e Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Consta nos autos, que ele passou por um grupo de travestis e proferiu xingamentos e injúrias, que classificou posteriormente como 'brincadeira'. A vítima teria revidado as agressões verbais.

O assassino foi para casa e voltou  em uma motocicleta com uma arma para executá-la.

Crime

Tabata foi morta a tiros, no dia 25 de junho de 2017, na Rua 19 de novembro, no bairro Belo Horizonte, em Rondonópolis.

Ela foi atingida por quatro tiros, três na frente e um nas costas. Seu corpo foi encontrado na rua dos fundos da empresa de sementes Marcolan.

Denuncie 

Denúncias de crime de ódio e homofobia podem ser feitas, no Disque 100, do Governo Federal. A denúncia é anônima e o serviço gratuito.

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER