Cuiabá, 17 de Janeiro de 2017

Facebook Twitter Rss
11.01.2017 | 17h00
A- | A+


POLÍCIA / OPERAÇÃO NO CARUMBÉ

Agentes transferem líderes de facções para a Penitenciária Central

Transferência faz parte de estratégia para evitar brigas entre facções, a exemplo do que aconteceu em Manaus (AM) e Boa Vista (RR)


DA REDAÇÃO

Divulgação

Clique para ampliar

Celulares, chips e drogas foram apreendidos no Centro de Ressocialização do Carumbé, em Cuiabá

Agentes penitenciários apreenderam 51 celulares, 80 chips e meio quilo de maconha, durante uma operação de rotina, no Centro de Ressocialização do Carumbé, em Cuiabá, na madrugada desta quarta-feira (11).

Durante a operação, pelo menos 30 detentos foram transferidos para a Penitenciária Central do Estado (PCE). A ação contou com o apoio do Grupo de Intervenção Rápida (GIR) e do Serviço de Operações Especiais (SOE).

Os detentos transferidos são suspeitos de liderar facções que atuariam dentro do CRC.

A transferência faz parte de uma estratégia no sentido de evitar brigas entre facções, a exemplo do que aconteceu em Manaus (AM) e Boa Vista (RR).

Os celulares, chips e drogas foram encontrados em pontos estratégicos da cadeia, durante a operação na madrugada. 

O presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários de Mato Grosso (Sindspen-MT), João Batista Pereira, afirmou que essa situação tem se tornado uma "triste rotina" e que a categoria estaria apenas “enxugando gelo”.

Divulgação

272f7ab1-dfd0-4405-b6dd-bfbb939f304a.jpg

Materiais foram localizados durante revista de rotina no CRC

Segundo ele, os casos de apreensões de celulares e drogas aumentaram após uma portaria da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), que proíbe que revistas íntimas sejam realizadas durante visitas aos detentos.

“Os visitantes arrumam maneiras de burlar o detector de metais, como enrolar papel carbono, borracha e outros nos celulares para passar despercebido pelo detector. Proibiram as revistas, que seriam ‘vexatórias’, mas o que é vexatório são as pessoas se proporem a levar drogas e celulares nas partes íntimas para criminosos”, disse Pereira.

Celulares camuflados

Uma semana atrás, um bebedouro ‘recheado’ com 181 celulares foi apreendido na Penitenciária Central do Estado (PCE), no bairro Pascoal Ramos, na Capital.

O equipamento estava voltando de manutenção, quando foi aberto pelos agentes.

Os celulares estavam enrolados em um plástico e dentro da espuma do bebedouro.  

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil.

 

Leia mais:

Bebedouro levado para o Pascoal Ramos estava 'recheado' com 181 celulares; veja vídeo 

 



(2) COMENTÁRIOS









Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

De olho   12.01.17 13h07
Também pudera não tem direção né o pseudo diretor adora visitar a sede da Sejudh pra tomar um cafezinho conversar fiado aqui ali puxar um saco com o adjunto e o superintendente pra assegurar o carguinho dele , mas tudo tem sua hora faz o seguinte compra um cadeado e vai treinando logo você precisará pra trabalhar

Responder

1
0
Sociedade  12.01.17 00h21
Isso tudo já estava lá a quanto tempo? Como entrou? E as revistas ? Estranho muito estranho? E agora quando foram de novo outra revista desta ou e só pra mostrar pra sociedade ? Tem que fazer todo dia essas revistas

Responder

1
0

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER