14.03.2019 | 12h35


BAIXARIA DOS HORRORES

Vereadores 'saem no braço' em guerra de Uber e taxistas na Câmara de Cuiabá

Sessão tumultuada, sobre regularização e taxação do serviço de transporte por aplicativo, foi suspensa por ao menos três vezes até o final da manhã.



O vereador de Cuiabá, Renivaldo Nascimento (PSDB) empurrou o colega de parlamento, Abílio Júnior (PSC) durante debate acalorado, na manhã desta quinta-feira (14), durante a votação da regularização do serviço de transporte pelo aplicativo Uber, na Capital. A sessão foi marcada por muito bate-boca entre vereadores e pressão da categoria de motoristas e taxistas, que acompanham nas galerias.

A situação ocorreu após uma fala acalorada do vereador Abílio a favor dos motoristas de Uber e contra a taxação do serviço, conforme prevê o projeto. Renivaldo teria tido a passagem barrada por Abílio e o empurrou.

Logo em seguida outra confusão teve início na galeria do Plenário. Desta vez entre motoristas de Uber e taxistas que acompanhavam a votação. O presidente da Casa, vereador Misael Galvão (PSB) chegou a suspender a sessão e chamou a Polícia Militar para conter os ânimos e manter a ordem na galeria.

O projeto em votação prevê a aplicação de uma taxa de licença de funcionamento das operadoras de aplicativo similares a Uber.

A previsão é de que o valor seja de R$ 0,05 por quilômetro rodado. O projeto também inclui a taxa de R$ 155 para vistoria nos carros que prestam serviço de transporte por aplicativo.

Até o final da manhã a votação não tinha sido concluída e o presidente precisou suspender a sessão por ao menos três vezes para manter a ordem em Plenário.

Leia nota divulgada pela empresa Uber, na íntegra:

Os projetos de lei aprovados pela Câmara Municipal de Cuiabá representam um movimento em direção a uma regulação moderna para o transporte individual privado. Entretanto, permanecem nos textos pontos que podem ser revistos pelo Executivo antes de serem sancionados, pois alguns dispositivos representam sérias restrições à atividade dos motoristas de aplicativos e podem encarecer excessivamente o serviço em Cuiabá.

Foi proposta uma "Taxa de Licença de Funcionamento de Operadoras de Plataformas Digitais" fixada com valor exorbitante, na contramão das regulações mais modernas, como as de São José dos Campos e do Rio de Janeiro, cidades nas quais foi estabelecida uma cobrança proporcional, mais equilibrada, de 1% do valor das viagens.

O projeto ainda propõe que os motoristas arquem com uma "Taxa de Fiscalização de Transporte Remunerado Privado de Passageiros", exigindo uma vistoria anual dos carros junto à prefeitura. A medida representa mais custos e burocracia,











(3) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Flavio avila   15.03.19 16h57
O nome já diz tudo CASA DOS HORRORES

Responder

2
0
Nelso  15.03.19 10h59
que pouca vergonha, o governo sempre querendo ferrar o pequeno trabalhador. Mas em breve o nome desses vereadores que resolveram taxar esses pequenos trabalhadores, terão seus nomes na boca do sapo e do povo, causando derrotas mil.

Responder

2
0
alberico  14.03.19 14h22
Vereador, não tem que "empurrar" ninguém, muito menos um colega. Me parece ser atitude de quem não tem argumentos. O problema, é que de empurrão, em empurrão, em algum momento, pode encontrar alguém, que pode não gostar,e infelizmente, pode "empurrar" ele................. E de repente, pode ser um empurrão diferente !!!!! Sei lá......Entende !!!!!!!

Responder

5
2

Enquete

R$ 65 MILHÕES

Você é a favor ou contra o corte de Bolsonaro no orçamento da UFMT e IFMT?

Sim, só produzem baderna

Não, vai piorar o nível dos cursos

Sim, a maior parte do gasto é com altos salários de servidores

Não, deveria aumentar os investimentos

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER