12.08.2017 | 14h24


PLANO B

Taques pode retomar projeto e implantar BRT em Cuiabá e VG

Segundo o governador Pedro Taques, neste primeiro momento, é preciso avaliar todas as alternativas até que haja um parecer jurídico sobre as obras do VLT.


DA REDAÇÃO

O governador Pedro Taques (PSDB) disse, na sexta-feira (11), que o Governo não descarta a possibilidade de ressuscitar o projeto que previa a implantação do BRT (Bus Rapid Transit) no lugar do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), em Cuiabá.

Segundo o governador, neste primeiro momento, é preciso avaliar todas as alternativas até que haja um parecer jurídico sobre as obras do modal, que podem custar, aproximadamente, aos cofres públicos R$ 2 bilhões, sendo que R$ 1,1 bilhão já foi pago ao Consórcio VLT.

“Nós estamos trabalhando com todas as possibilidades. Temos que buscar o que a Justiça irá decidir. (...) Para fazer outra licitação internacional [do VLT] demoraríamos três anos”, destacou o tucano.

“Nós estamos trabalhando com todas as possibilidades. Temos que buscar o que a Justiça irá decidir. (...) Para fazer outra licitação internacional [do VLT] demoraríamos três anos”, destacou o tucano.

Até a semana passada, o Governo negociava a retomada das obras com o consórcio responsável pela implantação do VLT. No entanto, na última quarta-feira (9), a Polícia Federal deflagrou a Operação Descarrilho para apurar os crimes de fraude em procedimento licitatório, em tese ocorridos durante a escolha do modal. Por esse motivo, o Estado decidiu interromper as negociações com a empresa.

“Primeiro temos que saber o que está acontecendo nas investigações. O Rogério Gallo [procurador-geral do Estado], Wilson Santos [secretário de Cidades] e o Ciro Gonçalves [controlador-geral do Estado] estão lendo toda a documentação para saber o que será feito”, completou.

Operação da PF

A Polícia Federal cumpriu 10 mandados de busca e apreensão em Cuiabá e um em Várzea Grande, além da  condução coercitiva do ex-secretário da Copa, Maurício Guimarães. As investigações são do Ministério Público Federal (MPF).

A operação foi conduzida pelo delegado Wilson Rodrigues e pelo procurador Vinícius Alexandre Fortes de Barros.

O inquérito policial tramita perante a Justiça Federal - 7ª Vara da Seção Judiciária de Mato Grosso.











(3) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Gilmar Fonteneles  13.08.17 17h37
Meu amigo governador, faça um favor a si mesmo, ponha o bonê debaixo do braço e saia de fininho. Você já acumula os salários e benesses de senador e governador, agora entrega para quem dá conta e vasa!!!!

Responder

4
1
Thiago  12.08.17 19h46
Minha família votou no Sr na última eleição acreditando nas promessas e agora vem com esse papo? Perdeu a nossa confiança e votos...

Responder

6
0
Gilston  12.08.17 16h05
Negativo seu Pedro Taques, querer trocar VLT por Buzusão. O senhor não anda mesmo de onibus aí tanto faz né. O plano B, seria os chineses com a PP. ou outra licitação excluído a empresa atual que envolvida até o pescoço segundo noticiário.. Certo. O senhor tem obrigação de fazer. O senhor foi leito por causa desta promessa do VLT.

Responder

5
1

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER