10.10.2018 | 08h00


SOB NOVA DIREÇÃO

Taques nomeia chefe da Casa Civil para conduzir transição de Governo

A comissão de transição será oficializada em decreto publicado nesta quarta-feira (9). O grupo será responsável por fornecer informações sobre a situação econômica ao novo Governo Mauro Mendes.


DA REDAÇÃO

O governador Pedro Taques (PSDB) nomeou o secretário-chefe da Casa Civil, Ciro Rodolpho, para coordenar a equipe de transição de sua gestão com o governo de Mauro Mendes (DEM), eleito próximo chefe do Palácio Paiaguás no domingo (7), com mais de 840 mil votos.

Após reunir com seu secretariado, na terça-feira (9), Taques ressaltou que irá seguir uma resolução do Tribunal de Contas do Estado (TCE). O órgão estabeleceu, em 2016, diretrizes para mudanças de gestões do Governo do Estado.

“Estaremos a partir de amanhã prontos para recebê-los. Como o governador já disse: da mesma forma que entramos no Governo de maneira democrática estamos encerrando", destacou Ciro.

Uma comissão de transição composta por membros das Secretarias de Fazenda (Sefaz) e Planejamento (Seplan), Procuradoria Geral do Estado (PGE) e Controladoria Geral (CGE) irão fazer parte do grupo.

“Essa comissão que será anunciada, por decreto, que vai ao Diário Oficial, nesta quarta-feira [10], será o instrumento que vai regrar essa articulação com enlace das missões que estamos a concluir e das que estão por iniciar pelo novo Governo”, disse Ciro Rodolpho.

De acordo com o secretário, atual gestão disponibilizará à equipe de transição de Mauro Mendes os espaços e equipamentos para realizar o trabalho.

“Estaremos a partir de amanhã prontos para recebê-los. Como o governador já disse: da mesma forma que entramos no Governo de maneira democrática vamos encerrar e com o mesmo respeito”, frisou. 

A transição serve para que Mendes tenha informações de como deve encontrar o Estado a partir do dia 1° de janeiro de 2019, quando toma posse. Em sua campanha, o democrata anunciou que iria reduzir o tamanho da máquina pública com extinções de secretarias e cargos comissionados.

Mendes ainda tem ressaltado o tamanho da dívida do Estado, que segundo ele chegará aos R$ 4 bilhões ao final de 2018.

Leia mais:

Mauro diz que Taques mentiu e anuncia medidas duras 1 dia após eleição

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER