12.09.2018 | 15h15


NA TVCA

Taques acusa Mauro Mendes de manter trabalho escravo em Rondônia

As declarações do candidato à reeleição contra o principal adversário na disputa pelo Governo do Estado ocorreram em entrevista, nesta quarta-feira (12).


DA REDAÇÃO

O governador Pedro Taques (PSDB), candidato à reeleição, acusou o adversário na disputa ao Governo, Mauro Mendes (DEM), de submeter funcionários ao trabalho escravo em empreendimento de uma de suas empresas. As declarações ocorreram em entrevista ao jornal MTTV 1ª Edição, desta quarta-feira (12). O tucano afirmou que o democrata deveria estar na “lista suja do trabalho escravo”.

“Vou contar um caso de Rondônia. Lá, 800 trabalhadores estão passando fome, morando em alojamento tipo animais, como diz a juíza do trabalho de Rondônia, porque o candidato Mauro Mendes não paga o salário de seus trabalhadores. Isso é tratar a pessoa com violação aos direitos humanos", criticou Taques.

“Vou contar um caso de Rondônia. Lá, 800 trabalhadores estão passando fome, morando em alojamento tipo animais, como diz a juíza do trabalho de Rondônia, porque o candidato Mauro Mendes não paga o salário de seus trabalhadores. Isso é tratar a pessoa com violação aos direitos humanos", criticou durante a entrevista.

A acusação é referente aos contratados para a construção de linha de energia elétrica, pela empresa Mavi Engenharia e Construção Ltda, que pertence ao Grupo Bipar.

 

Questionado se não se sentia isolado politicamente, já que foi  deixado por aliados, o candidato à reeleição garantiu que vê a situação com tranquilidade e aproveitou para criticar aqueles que apoiam Mauro Mendes.

“Eu não quero estar com Carlos Bezerra, Júlio Campos, Chico Daltro, que estão com Mauro Mendes. Eu não dividi secretariado do Governo para ter apoio político”, declarou.

Taques ainda rebateu acusações de irregularidades, conforme investiga Operação Catarata, do Ministério Público Estadual, que apura uma suposta fraude no contrato entre o Governo e a empresa 20/20 Serviços Médicos para realização de cirurgias oftalmológicas no projeto Caravana da Transformação. O governador afirmou que a situação já foi esclarecida ao MP e que continuará com o projeto, caso seja reeleito.

“Vou manter a Caravana da Transformação e as cirurgias de catarata. A Caravana já beneficiou mais de 300 mil pessoas com serviços sociais”, defendeu.

Outra promessa apresentada por Taques foi de voltar a pagar os salários dos servidores dentro do mês trabalhado.

“Eu quero dizer aos 70 mil servidores da ativa e aos 30 mil servidores aposentados que agora a casa está arrumada. A partir de janeiro do ano que vem nós teremos condições de começar a recuar um dia para encaixar o salário dentro do mês”, prometeu.

Outro lado

O candidato Mauro Mendes emitiu nota negando os ataques e chamando o adversário tucano de mentiroso.

Confira na íntegra:

Sobre os ataques do governador Pedro Taques (PSDB) na TV Centro América, o candidato Mauro Mendes (DEM) esclarece que:

1) Em razão da recuperação judicial do Grupo Bipar, houve uma dispensa de trabalhadores em Cacoal, Rondônia, que atuavam para a empresa Mavi, da qual sou sócio. Mas, ao contrário do informado maldosamente pelo governador, os funcionários não levaram calote da Mavi, tampouco passaram fome ou trabalhavam em condições de escravidão.

2) A Mavi promoveu a dispensa de forma regular e pagou os salários e a ajuda de custo para que os funcionários pudessem voltar para seus locais de origem, pois muitos deles moravam em outros Estados.

3) Os únicos valores pendentes de pagamento são as verbas trabalhistas, cujo montante já está devidamente disponibilizado em conta judicial.

4) Tais verbas ainda não foram pagas por culpa exclusiva da lentidão da Justiça e em razão dos sucessivos recursos interpostos pela empresa terceirizada Linha Verde Transmissora de Energia S/A (LVTE), que havia feito a contratação dos funcionários.

5) A Mavi em nenhum momento questionou a sentença no que tange ao pagamento das verbas trabalhistas, uma vez que entende ser direito legítimo dos ex-funcionários.

6) Conforme consta no próprio processo, a Mavi ingressou com diversos pedidos na Justiça em que solicitou a liberação dos pagamentos, visando amparar financeiramente os trabalhadores e suas famílias.

7) As declarações mentirosas feitas pelo governador Pedro Taques mostram que ele insiste em propagar e criar fake news contra mim. Por mentiras como essas, ele já foi condenado pela Justiça Eleitoral e teve o programa suspenso. Porém, insiste em desrespeitar o eleitor, menospreza a Justiça e comete crimes durante o período eleitoral.

 

Leia mais

Mauro Mendes fala sobre atrasos de salários e Taques critica aliança com MDB











(3) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Thiago  13.09.18 10h32
Governador, o Sr está se queimando mais ainda. Infelizmente essa reeleição não irá acontecer. Minha família inteira votou no Sr na eleição passada e nessa não terá nenhum voto nosso. Fez nada para MT.

Responder

3
1
Maria Auxiliadora   12.09.18 15h51
Tudo foi esclarecido ao MP? Como assim cara pálida? O contrato entre o estado e essa empresa escafedeu-se da SES. Vai pagar o servidor público no mês, essa promessa não é nova. Vc a fez na campanha de 2014 e, além de não cumpri-la ainda sapateou sobre os servidores com sua arrogância, prepotência e ignorância, desviando a atenção da imprensa e dos servidores, enquanto seus amigos quadrilheiros dilapidavam o patrimônio público. Pegue seu banquinho e saia de mansinho e nos poupe de ver e ouvir sua cara hipocrita por mais um mês.

Responder

5
4
Teka Almeida  12.09.18 15h47
Sobre o caso de Rondônia, no que se refere aos 800 trabalhadores que estão passando fome morando em alojamento tipo de animais, acredito que o estado vizinho tem a Justiça do Trabalho, foi citado a juíza do trabalho, ela não tem nome????? Se isso for verdade, cite o número do processo onde a juíza faz tais alegações e quais providências foram tomadas. Agora o certo é que em Mato Grosso os órgãos competentes assistem os trabalhadores do estado recebendo fora do horário bancário e nada fazem. Os órgãos competentes assistem os fornecedores levando calote com famílias para sustentarem e nada fazem. Muitos com certeza estão sem alimentos na mesa, muitos estão com alugueis e obrigações contratuais atrasados e são obrigados a viverem nessa humilhação. Quanto mais você DESgoverno abre a boca mais se queima. Palavras despejadas é muito fácil, não mostrou uma prova se quer. Espero que leve um bom de um processo. As demais promessas já fez no decorrer de 2018 e até agora nada de concreto.

Responder

8
4

Enquete

O Governo de Mauro Mendes vai ser melhor ou pior que o de Pedro Taques?

Melhor

Pior

Iguais

Não sei

  • Parcial Votar

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER