26.02.2017 | 07h59


FOCO EM 2018

Staff político de Taques faz aliados acreditarem na reeleição

A nova composição do staff estadual começou a ser formada no fim do ano passado, com a nomeação do então deputado estadual Wilson Santos (PSDB), para a Secretaria de Cidades.


DA REDAÇÃO

A postura de trocar parte do secretariado técnico por um corpo mais político tem rendido elogios ao governador Pedro Taques (PSDB) e muitos aliados estão mais otimistas em relação às chances do gestor em buscar a reeleição em 2018.

“O tratamento melhorou, pois, os secretários que possuem o perfil mais político sabem das agonias dos deputados. Sabem que os municípios se amparam nos parlamentares porque não podem vir até a Capital toda vez que têm uma demanda", declarou o deputado Oscar Bezerra.

Para os aliados, a relação com Taques melhorou, além da prestação de serviços.

“O tratamento melhorou, pois, os secretários que possuem o perfil mais político sabem das agonias dos deputados. Sabem que os municípios se amparam nos parlamentares porque não podem vir até a Capital toda vez que têm uma demanda. O secretariado mais político tem mais sensibilidade e não trata essa demanda de forma corriqueira, apenas seguindo cronograma”, explicou o deputado estadual, Oscar Bezerra (PSB).

A nova composição do staff estadual começou a ser formada no fim do ano passado, com a nomeação do então deputado estadual Wilson Santos (PSDB), para a Secretaria de Cidades. Aos poucos os partidos que compõem a base de sustentação do Governo ocuparam mais espaços e o também deputado Max Russi (PSB) assumiu a Secretaria de Assistência Social, e o ex-vereador Domingos Sávio (PSD) foi indicado para a Secretaria de Ciência e Tecnologia.

Cargos de segundo e terceiro escalão também ganharam novos indicados com perfil mais político.

Além dessa nova composição, o próprio governador tem se mostrado mais aberto ao diálogo. O secretário de Assuntos Estratégicos de Várzea Grande, Jayme Campos (DEM), também acredita que até 2018, Taques angarie mais simpatia e consiga melhorar significativamente as decisões políticas de sua gestão.

"Ele tem demonstrado disposição para conversar com as classes política e empresarial e debater antes de tomar as decisões para as questões do Estado. Isso é essencial”, afirmou Jayme.

“Ele está nos ouvindo agora e isso é ‘louvável’, porque política não se faz apenas administrativamente, é preciso conversar, debater com os partidos que o sustentam. Ele tem demonstrado disposição para conversar com as classes política e empresarial e debater antes de tomar as decisões para as questões do Estado. Isso é essencial”, afirmou Jayme.

O secretário disse que reuniões periódicas serão mantidas para que os partidos que formam a sustentação do governo possam opinar. “É dessa forma que se faz um governo democrático, ouvindo a sociedade e os partidos, para que todos possam contribuir”, pontuou.

O staff totalmente técnico do início da gestão era constantemente criticado, principalmente, pelos deputados estaduais, que reclamavam passar horas aguardando por uma audiência com determinado secretário para, ao fim, não serem recebidos.

“Isso é um absurdo. O que o deputado tem para tratar, geralmente, leva apenas alguns minutos e os secretários nos deixam horas esperando e, muitas vezes, nem recebem. É um desrespeito, considerando que também somos autoridades”, chegou a se queixar um dos deputados estaduais à época.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

alexandre  26.02.17 10h06
Vão perder, mega greve de servidores vai detonar a imagem do governo.

Responder

16
1

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER