03.02.2019 | 08h20


ROMBO DE R$ 4 BILHÕES

Silval acusa Galllo por difamação e pede explicações na Justiça

O secretário Rogério Gallo disse na imprensa que ele deveria ser exposto em praça pública, como o principal responsável pela crise financeira do Estado.


DA REDAÇÃO

O ex-governador Silval Barbosa entrou com uma petição no Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) contra o secretário de Estado de Fazenda Rogério Gallo. Ele alega que foi difamado pelo secretário ao ser apontado como principal responsável pela atual crise financeira de Mato Grosso, que apresenta déficit nas contas públicas de R$ 3,9 bilhões de dívidas e restos a pagar.

Conforme o sistema do Processo Judicial Eletrônico (PJE) do Tribunal de Justiça, a petição foi encaminhada na quinta-feira (31) para o gabinete do desembargador Juvenal Pereira da Silva, que será o relator do processo.

Segundo o site VG Notícias, no documento Silval pede explicações a respeito de declarações de Gallo na imprensa, no início do mês passado. Na oportunidade, o secretário de Fazenda teria dito que Silval “deveria ser pendurado em praça pública junto com um comunicado para todos identificá-lo como o cara que desestabilizou por completo as finanças do Estado”.

A defesa de Silval destacou, ainda, que Gallo teria mencionado que o ex-gestor foi irresponsável ao aprovar 14 leis de carreira complementar aos servidores do Estado, no final de seu mandado, em 2014, deixando que a bomba estourasse na próxima gestão, no caso, do ex-governador Pedro Taques (PSDB), que comandou o Estado de janeiro de 2015 a dezembro de 2018.

Para Silval, as declarações de Gallo na imprensa são levianas e preocupantes, pois estariam incitando o crime, ao sugerir que ele deveria ser pendurado em praça pública.

Ele destacou ainda que se sentiu ofendido com as declarações e que o secretário deveria ser comportar com mais respeito perante a opinião pública, por causa da função que exerce.

Ao todo, a petição do ex-governador cobra 30 explicações do secretário. O processo ainda será analisado pelo desembargador Juvenal Pereira da Silva.

Corrupção

Silval Barbosa ficou preso por quase dois anos no Centro de Custódia da Capital por uma série de crimes que cometeu contra a administração pública.

O ex-governador foi solto após fechar acordo com Procuradoria-Geral da República (PGR) e entregar dezenas de políticos envolvidos no esquema, além de restituir os cofres públicos em R$ 78 milhões.

Em dezembro de 2017, ele foi condenado, em primeira instância, a 13 anos de prisão, por montar uma organização criminosa que teria desviado cerca de R$ 2, 5 milhões dos cofres públicos por meio da concessão fraudulenta de incentivos ficais. 

Outro lado 

Em entrevista ao , o secretário Rogério Gallo negou que tenha declarado que Silval deveria ter sido exposto em praça pública, como o principal responsável pela crise em Mato Grosso.

Mas segundo Gallo, a própria delação premiada do ex-gestor confirma o desequilíbrio que ele provocou nas contas do Estado. 

Destacou ainda “que não irá bater boca com Silval na imprensa”, e que irá responder a questão judicialmente, assim que for convocado pelo Tribunal de Justiça.  

 

Leia mais

Rogério Gallo defende Taques e diz estar no cargo por capacidade técnica











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER