12.08.2017 | 17h01


GRAMPOLÂNDIA

Secretário da Casa Civil diz acreditar na inocência de Paulo Taques

O secretário-chefe da Casa Civil, José Adolpho Vieira, considera que a decisão do Superior Tribunal de Justiça, em conceder a liberdade ao ex-secretário Paulo Taques, tem peso sobre a investigação dos grampos.


DA REDAÇÃO

O secretário-chefe da Casa Civil, José Adolpho Vieira, disse que a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que considerou a prisão do ex-secretário Paulo Taques ilegal, tem peso em relação ao processo que investiga o advogado por suposta participação no esquema de grampos, organização criminosa e denunciação caluniosa.

José Adolpho afirmou, ainda, que acredita na inocência do ex-secretário, que passou uma semana preso, por determinação do desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Orlando Perri.

“Esse é um problema jurídico e não cabe ao Governo avaliar. Ele é meu amigo, eu o conheço, então não tem como ficar triste. Juridicamente uma decisão do STJ tem o seu peso, mas não vou entrar nesse assunto”, resumiu.

Sobre o fato de Perri apontar, em sua decisão, José Adolpho como longa manus [extensão] de Paulo Taques dentro do Governo. O secretário preferiu não comentar.

“Não tem nem o que falar. Eu sou eu”, rebateu.

Solto pelo STJ

O ex-secretário chefe da Casa Civil Paulo Taques estava detido no Centro de Custódia da Capital (CCC) desde o dia 4 de agosto, mas deixou à prisão na tarde desta sexta-feira.

Paulo Taques deixou o CCC sem comentar os dias de cárcere e a decisão por sua soltura, determinada pelo o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Reynaldo Soares da Fonseca, na quinta-feira (10), que julgou a prisão ilegal. À imprensa, ele disse apenas que vai conceder uma coletiva, na próxima semana para falar sobre o assunto.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

alexandre  12.08.17 21h12
governo deveria ser imparcial...e esperar o fim das investigaçoes, é por isso que o Des. Perri teve que agir..

Responder

0
0

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER