24.02.2017 | 16h00


ARTICULAÇÕES PARA 2018

PSB quer 'dobradinha' de Mendes e Blairo para disputa de 2 vagas ao Senado

Nome de Mendes foi apresentado pelo presidente nacional do PSB. Em Mato Grosso, a sigla busca parceria com Blairo Maggi


DA REDAÇÃO

O tesoureiro do Partido Socialista Brasileiro (PSB), secretário de Estado de Assistência Social (Setas), Max Russi afirmou que o comando regional da sigla compartilha da opinião do presidente nacional da legenda Carlos Roberto Siqueira, que em encontro nesta sexta-feira (24), em Brasília, sugeriu o nome do ex-prefeito Mauro Mendes como candidato garantido da sigla ao Senado Federal, em 2018. Ele também revelou a intenção de uma 'dobradinha' com o ministro da Agricultura e Abastecimento, Blairo Maggi (PP) para a disputa.

“Nosso nome é com certeza o do Mauro Mendes e isso não vai mudar, salvo em ocasião excepcional. Ele foi bom gestor, bom prefeito, bom administrador, entre outros vários adjetivos que poderia dar a ele”, disse Russi.

De acordo com o secretário, o ex-prefeito de Cuiabá atende todos os requisitos para o preenchimento da vaga, além de ter deixado o comando do Palácio Alencastro com alta aceitação da população cuiabana.

“Nosso nome é com certeza o do Mauro Mendes e isso não vai mudar, salvo em ocasião excepcional. Ele foi bom gestor, bom prefeito, bom administrador, entre outros vários adjetivos que poderia dar a ele”, disse Russi ao .

A surpresa do grupo foi o “fechamento” com o ministro Blairo Maggi , que segundo integrantes da legenda já estaria certo.

“O PP já está fechado. Quem acha que não, está enganado, pois o PP vai está junto, com certeza, já acertada”, garantiu.   

“No caso de Blairo não querer disputar o Senado e alçar uma posição maior, nós temos nomes ótimos tipo o do Nilson Leitão (PSDB), que é integrante forte na composição”, finalizou.

Como o próximo pleito oferece vaga para dois novos senadores de Mato Grosso, Blairo seria a melhor opção para compor com o grupo.

“No caso de Blairo não querer disputar o Senado e alçar uma posição maior, nós temos nomes ótimos tipo o do Nilson Leitão (PSDB), que é integrante forte na composição”, finalizou.

Apesar de todos os nomes disponíveis, o único que não foi citado foi o ex-senador e secretário de Assuntos Estratégicos de Várzea Grande, Jayme Campos (DEM). O democrata, marido da prefeita do município articula seu nome ao Senado desde que decidiu não sair candidato no pleito de 2014. Ele trabalhou ao lado de o governador durante a última campanha e ofereceu seu apoio e em retribuição.  

A assessoria do parlamentar explicou que isso seria normal (o fechamento de grupos), mas que não impediria que Jayme fosse uma terceira via para a função.   

Em Brasília

O presidente nacional do PSB disse que apesar da afirmação continuará ao lado do governador num projeto de reeleição do tucano. De acordo com ele, o acordo que fora feito lá atrás ainda está valendo e que isso vai vigorar em 2018, com certeza.   











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER