16.02.2017 | 21h07


COMPLEXO JURÍDICO

Prefeita articula construção de nova estrutura do Judiciário em VG

Uma nova sede para abrigar o Fórum de Várzea Grande, além de outras unidades do judiciário



Uma audiência entre o presidente Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargador Rui Ramos e a prefeita de Várzea Grande, Lucimar Campos (DEM), poderá transformar em realidade a construção do novo Complexo Judiciário no município. A região contemplada será o Chapéu do Sol.

Ficou definido que a prefeita agendará uma audiência com a Mesa Diretora do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, presidida pelo desembargador Rui Ramos e pelas desembargadoras, Marilsen Addario e Maria Aparecida para tentar retirar o projeto que já existe há seis anos e já chegou de ter sua licitação autorizada.

“Estamos dispostos a investir recursos municipais na obra para que possamos no futuro, receber a atual estrutura do Fórum de Várzea Grande e anexá-la a administração municipal, o que irá economizar com o fim de aluguéis dos órgãos que estão descentralizados do Paço Couto Magalhães que reúne toda a estrutura pública municipal”, frisou a prefeita.

 

O diretor do Fórum de Várzea Grande, magistrado Jones Gattass Dias, disse que a viabilidade para a construção da nova sede passa pela Administração Pública Municipal. “A intermediação tanto da prefeita como do secretário de Assuntos Estratégicos, Jayme Campos, junto ao Poder Judiciário contribui para o sucesso do pleito”, frisou.

Já o presidente do Tribunal de Justiça, alegou que tem a sensibilidade da necessidade de executar esse projeto. “A nossa Comarca já é obsoleta pelo crescimento das demandas do Poder Judiciário junto a população”, disse.

Ele ponderou ainda que a situação chegou ao ponto de levar Varas Judiciais de Várzea Grande para o Fórum de Cuiabá, por falta de estrutura e condições de trabalho.

O secretário de Assuntos Estratégicos, Jayme Campos assinalou que uma grande movimentação será feita junto ao Governo do Estado, a Assembleia Legislativa, ao Ministério Público de Mato Grosso, Defensoria Pública e outras entidades civis organizadas para que todos se empenhem na busca de construir o novo Complexo Judiciário.

“O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Rui Ramos, é um gestor público consciente da situação e vamos a ele não apenas defender a construção, mas também, ajuda-lo para que o Complexo Judiciário se torne uma realidade”, disse.

A área de acomodação do Complexo tem 3,8 hectares e deve também abrigar o Ministério Público Estadual, a Ordem dos Advogados do Brasil OAB/MT, Defensoria Pública, o Complexo do Parque Tecnológico entre outros órgãos, se tornando em uma Praça de 3 Poderes.

 

Na região do Chapéu do Sol o Governo do Estado executará uma obra de uma ponte no Rio Cuiabá para integrar a região com o Santa Rosa facilitando o acesso entre as duas principais cidades de Mato Grosso e assegurando um melhor acesso entre todas as estruturas do Poder Judiciário.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Benedito costa  16.02.17 21h36
Prefeita. O judiciario atende os interesses de particulares entre particulares. Nao acha melhor ver o pronto socorro que pede socorro? Por exemplo: fazer um outro pronto socorro e hospital em um outro local como fez cuiaba?

Responder

0
0

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER