06.01.2019 | 16h24


TAXAÇÃO DO AGRONEGÓCIO

Pivetta evita falar em aumento de receita; 'É preciso controlar gastos antes'


DA REDAÇÃO

O vice-governador Otaviano Pivetta (PDT) enalteceu seu companheirismo ao governador Mauro Mendes (DEM) em seu discurso de posse, em claro recado ao ex-governador Pedro Taques que deixou o comando do Palácio Paiaguás no dia 01 de janeiro. O atual vice-governador disse que o novo Governo será de pouco discurso, mas de muito trabalho para entregar os compromissos firmados com os mato-grossenses.

Pivetta, evitou em falar em aumento de impostos e taxação de setores do agronegócio. Para ele, o momento é de entender os setores da economia, de tratar com austeridade o gasto da máquina estadual e depois abrir caminho para a elevação da receita do Estado.

“Com a certeza de que vamos entregar para sociedade o que ela almeja, com pouca conversa, pouco discurso, vamos fazer chegar, principalmente aos que mais precisam, serviços que são obrigação do Estado fornecer, melhorar o planejamento, a qualidade do gasto, não perder receita neste primeiro momento. É preciso aumentar receita sem prejudicar nenhum setor da sociedade”, destacou.

Já empossado, Pivetta evitou falar com a imprensa, mas deixou claro no ato de posse dos secretários que quer ajudar o governador Mauro Mendes a fazer o melhor para à população. Neste primeiro momento, Pivetta não assume nenhuma pasta no Governo do Estado, diferente de seu antecessor Carlos Fávaro (PSD) que comandou a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema),  e de Chico Daltro (PRB) que comandou a Secretaria de Estado de Cidades (Secid). Pivetta, porém, vem ajudando a coordenar os trabalhos das pastas de Infraestrutura, ocupada por Marcelo Padeiro, e de Educação, que tem à frente a professora Marioneide Kliemaschewsk.

Mauro, por sua vez, fez questão de chamar Pivetta de amigo por várias vezes e agradeceu a reedição da dobradinha com ele, já que a primeira vez que foram candidatos juntos foi em 2010, quando foram derrotados pelo ex-governador Silval Barbosa.











(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Guilherme   07.01.19 10h26
Mauro Mendes é a nova versão do Pedro Taques, começou com muito apoio, mas é submisso ao agronegócio e aos maiores empresários de MT. Trabalhará por eles por renúncias fiscais e sonegações fiscais e para isso pisará nos servidores, criará um "discurso de crise" reproduzido pela mídia comprada pelos milhões da SECOM, sofrerá só longo do tempo grande desgaste e será substituído em 2022. Carlos Bezerra conhece os meandros da política mato-grossense e já aposta na próxima eleição.

Responder

0
0
alexandre  06.01.19 17h09
tem que taxar o agronegocio, controla os gastos dos Poderes..

Responder

8
0
Matéria(s) relacionada(s):

Enquete

GESTÃO

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora?

Excelente: MT foi destruído por governos anteriores

Bom: Está enfrentando problemss que ninguém quis enfrentar

Ruim: Não faz reformas de verdade e culpa o servidor

Péssimo: Vai conseguir ser pior que Silval e Taques

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER