14.05.2019 | 11h10


INDICATIVO DE GREVE

Mauro:'Profissionais têm 3º melhor salário do país e temos a 21ª pior educação'

Declaração do governador foi em referência ao indicativo de greve dos professores. Ele destaca que é preciso reavaliar a educação no Estado e diz que tem dificuldade de pagar salários.


DA REPORTAGEM

Diante dos questionamentos sobre o indicativo de greve apresentado pelo Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT), na última segunda-feira (13), o governador Mauro Mendes (DEM) foi enfático ao afirmar que a paralisação não resolve os problemas do estado e muito menos da educação, já que a avaliação do desempenho de Mato Grosso nacionalmente não tem acompanhado a colocação salarial dos professores.

“O Sintep tem todo o direito de fazer como é livre o exercício do direito de greve, mas os profissionais da Educação de Mato Grosso já têm o terceiro melhor salário do Brasil e nós temos a 21ª pior educação do  Brasil. Então é momento de refletir um pouco sobre isso. Saber que nós precisamos melhorar a educação, sim, mas não é só melhorando salário que nós vamos melhorar a educação”, declarou pouco antes da inauguração da UPA em Várzea Grande.

O indicativo de greve do Sintep é de paralisação por tempo indeterminado, a partir do dia 20 de maio, se o Governo não atender as reinvindicações feitas.

“O Sintep tem todo o direito de fazer como é livre o exercício do direito de greve, mas os profissionais da Educação de Mato Grosso já têm o terceiro melhor salário do Brasil e nós temos a 21ª pior educação do Brasil"

Mauro lembrou que o Estado tem dificuldades de pagar os salários, que aumentaram nos últimos anos e criticou a medida.

“Olha eu já disse algumas vezes, meus amigos. Se greve resolver o problema de Mato Grosso vamos todos fazer greve. O governador faz greve, o jornalista faz greve, o empresário faz greve, o servidor faz greve e se isso resolver nós poderemos então ter um Estado muito melhor. Greve não resolve”, asseverou.

Ainda sobre a dificuldade econômica do Estado ele disse que não descarta novos cortes financeiros em secretarias e autarquias do Governo.

Entre as reivindicações estão: o pagamento dos 7,69% da Lei 510/2013, a convocação do cadastro de reserva dos homologados ainda este ano, para o ingresso no ano letivo de 2020 e apresentação de cronograma de reformas de unidades escolares.











(7) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

DIAS DE GLORIA E DA VERDADE VIRAO   14.05.19 19h07
E a corrupção de muitos que passaram pela EDUCAÇÃO SAUDE ETC ? OS CORRUPTOS ? Coloca nessa crassificação! Lista em qual posição MT está na ordem de corrupção que roubam o futuro de muitos e a saúde que mata! A Educação inclui a equipe política ? Então coloca na conta da 21 pior também certas equipes e pessoas que aliás está la faz tempo! Desse governo passado repassado e trepassado! COLOCA 0S SEUS NA CONTA do 21° pior GOVERNADOR!

Responder

17
0
VERDADE VERDADEIRA  15.05.19 22h35
Falou e disse ! As escolas de lata estão em 3°? ! As escolas sem estrutura sem dignidade estao em 3°?! Então são somente os professores que são premiados pelo 21 ° pior do Brasil ? Ah, os gestores não fazem parte da Educação? Os nomeados políticos nos diversos cargos funções ? A Secretaria suas superintencias gerências coordenadorias não fazem parte da Educação ?

Responder

3
0
Allan Jeronymo Dellaquila  14.05.19 18h24
Comentei mais cedo, mas apagaram... volto a dizer: A educação está como está no estado devido ao modelo educacional que recompensa o demérito. Atualmente temos no estado um modelo que promove o desinteresse e acaba por contaminar a todos, pois no modelo atual temos praticamente a progressão automática, onde o aluno sem estudar ou produzir nada é empurrado para mascarar índices de retenção... Esse modelo promove o mau aluno e acaba com o interesse do bom aluno, nivelando todos por baixo... Isso é o interesse do poder, pois maus líderes só se mantém no poder quando a educação falha... Pagar, deveria pagar mais, ao invés de encher a boca para falar que paga o terceiro maior piso, deveria se preocupar em chegar ao primeiro e promover mudanças necessárias no modelo atual, principalmente no ensino fundamental. Não há hoje apoio dos pais para melhorar a educação dos filhos e o sistema tira autonomia de cobrança do professor... Desse jeito não haverá melhoras...

Responder

36
0
Maria Taquara  14.05.19 17h25
Isxpia o argumento raso do governador. Eu nunca entendi pq o povo de Cuiaba gostou tanto da gestao deste daí

Responder

17
4
walter liz  14.05.19 16h53
Greve não soma nada, achem outras soluções , se reiventem, conversem como educadores e governantes sérios , mudem o discurso

Responder

13
20
Henrique Dias  14.05.19 14h24
Isso a Globo não mostra.

Responder

13
2

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER