08.02.2019 | 06h54


CALAMIDADE FINANCEIRA

Mauro: As progressões não são o maior vilão na evolução da folha

O governador Mauro Mendes propôs e sancionou uma lei que impede a concessão da RGA por pelo menos dois anos


DA REDAÇÃO

O governador Mauro Mendes (DEM) já sancionou a Lei de Responsabilidade Estadual (LRFE), mas já declarou que não considera as progressões de carreira como a vilã do crescimento vegetativo da folha de pagamento do Estado. Desde 2016, o ex-governador Pedro Taques vinha reclamado do crescimento da folha sendo maior que a arrecadação.

O governador Mauro Mendes disse o Estado ganhou muito com a aprovação das leis do chamado Pacto por Mato Grosso. Os deputados cederam à pressão dos servidores e apresentaram uma emenda ao projeto da LRF Estadual permitindo à concessão de incentivos fiscais. 

“As progressões hoje não são o maior ofensor que nós temos na evolução da folha de pagamento do Estado de Mato Grosso, tem um grande impacto, mas não é o maior impacto. Ele é impacto que nós vamos estudar como é que ele fica, como ele poderá ser suportado e qual o desdobramento prático disso”, disse o governador que ainda analisa a LFRE.

Segundo ele, o corpo técnico do Governo de Mato Grosso tem um estudo que mostra que as progressões não foi e não é o maior vilão da folha ao longo dos anos. Mendes foi questionado se não seria estelionato eleitoral, já que prometeu pagar os direitos dos servidores e a Revisão Geral Anual (RGA) na campanha de 2018 e quando chegou ao governo apresentou medidas diversas ao que foi prometido durante o pleito.

O governador disse que sempre falou que pagaria se o Estado tivesse dinheiro suficiente para tal. Ele propôs e sancionou uma lei que impede a concessão da RGA por pelo menos dois anos. Mauro lembrou que o Estado está com os salários atrasados, não consegue pagar o deve e que não há como conceder o reajuste inflacionário neste momento. 

Leia Mais:

Mauro sanciona Fethab, novas regras para a RGA e outros dois projetos











(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Mato Grosso MAIS   09.02.19 08h29
Sugiro ao renomado governador a convocação imediata de todos os servidores CEDIDOS sem para voltar a sua atividade profissional incluindo professores médico militar. Essa convocação iria incluir os poderes do TJ assembleia legislativa e tribunais. No estado de São Paulo quem faz a segurança são os próprios tribunais com contratações de servidor denominado agente de segurança. Outro item seria substituição todos bombeiros, polícias da área administrativa por servidores públicos da área meio para fazer gestão das atividades qual é dificuldades. Fim da verba indenizatória para todos

Responder

7
0
Jean  08.02.19 07h47
Pelo amor que vcs têm a Deus, parem de escrever em suas matérias que RGA é reajuste, aumento salarial ou coisa parecida. RGA é somente a REPOSIÇÃO da perda monetária inflacionária do salário do servidor que ocorreu no ano anterior. Não é aumento salarial gente. Não se caracteriza ganho. O governo repõe aquilo que nosso sistema econômico tirou ao longo de um ano.

Responder

93
1
Matéria(s) relacionada(s):

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER