18.05.2019 | 07h50


CRISE NACIONAL

Mauro alerta que sem melhora econômica vai fazer novos cortes em MT

A afirmação acorre após o Banco Central anunciar que a economia brasileira pode ter recuado, "ligeiramente", no primeiro trimestre do ano.


DA REDAÇÃO

O governador Mauro Mendes (DEM) revelou que caso a economia brasileira permaneça “em declínio”, como a apontam as projeções, terá que fazer novos cortes de gastos no Poder Executivo.

“Tomamos várias medidas de maneira silenciosa. Não sou uma pessoa que gosta de tomar medidas espetaculosas. Faço no dia-a-dia. São medidas importantes de corte de gastos, redução de despesa, tanto que já é perceptível para muitos setores que o Governo já melhora seu desempenho, mesmo no momento de crise”, afirmou Mauro Mendes, na terça-feira (14), após inauguração da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Cristo Rei, em Várzea Grande.

"Existe um sinal claro que o PIB, ou seja, a atividade econômica está em franco declínio este ano. Se isso se confirmar, como ocorreu nos primeiros meses, vai afetar profundamente a arrecadação. Com menos dinheiro, temos que cortar mais despesas", declarou Mauro Mendes.

A fala do governador ocorre após o Banco Central apontar que a economia brasileira possa ter recuado, "ligeiramente", no primeiro trimestre deste ano, se comparada com os três últimos meses de 2018. A avaliação consta da ata do Comitê de Política Monetária (Copom). Só para se ter ideia, a expectativa para o crescimento do PIB em 2019 chegou a ser 2,5% em janeiro e agora pode ficar abaixo de 1,5%, segundo economistas.

No entanto, o governador declarou que o momento é de observação para ver se a economia reage nos próximos meses. Caso a queda persista, a arrecadação de Mato Grosso será atingida, segundo o democrata, de forma profunda e isso tornaria inevitável o corte de gastos mesmo após o Estado conseguir diminuir o déficit mensal que em abril fechou no vermelho (rombo de R$ 72,8 milhões), o valor é mais que a metade que o registrado em janeiro (rombo R$ 168 milhões).

“Agora temos que ir acompanhando a evolução da economia brasileira. Existe um sinal claro que o PIB, ou seja, a atividade econômica está em franco declínio este ano. Se isso se confirmar, como ocorreu nos primeiros meses, vai afetar profundamente a arrecadação. Com menos dinheiro, temos que cortar mais despesas”, confirmou.

Sobre os bloqueios financeiros feitos pelo Governo Federal em alguns setores, inclusive na Educação, Mauro disse que não adianta as autoridades políticas ficarem “esperneando e protestando” contra e, sim, é preciso acordar para a realidade porque a solução é trabalhar.

"Não adianta espernear não, gente. Não adianta fazer protesto. O que temos que fazer é trabalhar", argumentou o governador.

“Não adianta espernear não, gente. Não adianta fazer protesto. O que temos que fazer é trabalhar. Trabalhar com seriedade. Aprovar as reformas. Espero que o Legislativo aprove a Reforma da Previdência. O Estado brasileiro, a União, os municípios, os governos, nós não produzimos riqueza. Quem produz riqueza é o cidadão. Se o Estado brasileiro continuar gastando mal e muito, cada vez mais nós vamos avançar no bolso do cidadão, tomar dinheiro das empresas e gastar mal. Nós temos que fazer que o Estado seja mais eficiente, que ele pare de gastar naquilo que não produz resultado para que efetivamente possa devolver serviços melhores para a nossa população”, respondeu.

Leia mais:











(5) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

pedro paulo  20.05.19 07h50
Aproveita e corta a luz da secretaria!!!!

Responder

1
0
Paulete Soares  19.05.19 18h08
Mauro Mendes corta 50% da verba dos órgãos só assim vão parar de contratar funcionários e gastar com diárias, visgens aéreas, cooffe break, combustível, etc...

Responder

1
0
Servidores públicos   18.05.19 19h40
Mauro Mendes concordo com a sua decisão, comece pelo Tribunal de Contas do Estado, este órgão fiscalizador está tendo muito gastos com diárias, passagens aéreas, combustível, palestrantes, locação de espaço para fazer esses eventos nos municípios, vcs acreditam que tem até decoração? Fiquei indignado quando participei esses dias, em um Município se fala tanto para nós sociedade ajudar na fiscalização, e agora faz decoração, locam espaço, carro oficial a disposição? Cadê o Ministério público que não enxergou essa situação ainda? Me revolta tanto ver tantas pessoas passando por dificuldades, na minha opinião estas capacitações não adianta de nada, é só blá blá e não muda nada, somente gastos públicos, é nosso dinheiro público indo ser jogado fora....

Responder

3
0
Os Matogrossenses  18.05.19 13h17
Governador Mauro Mendes corta pela metade o duodécimo que o Estado repassa para o Tribunal de Contas do Estado, eles estão extrapolando com a folha de pagamento, contratam funcionários quase todos os dias, nomeia cargos comissionados toda semana, estão gastando com tanta diárias, decoração desnecessária em eventos técnicos, oferecem café da manhã, coffe break, é dinheiro público, não podemos aceitar isso é um absurdo, temos que denunciar essa situação, os servidores não batem ponto, não cumprem a carga horária de Oito horas diárias, e como sei que o Governador Mauro Mendes corta tudo que não está sendo certo acreditamos que irá fazer tomar alguma atitude em relação a este órgão fiscalizador....

Responder

6
0
ana  18.05.19 09h47
começa pelos comissionados da casa civil

Responder

8
0
Matéria(s) relacionada(s):

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER