11.10.2017 | 15h14


DESVIOS EM LICITAÇÕES

Maluf estranha título de líder criminoso e diz que MP denuncia sem provas

O deputado foi denunciado pelo Ministério Público Estadual (MP) como líder de organização criminosa, corrupção passiva e por obstrução à Justiça.


DA REDAÇÃO

O deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB) disse por meio de nota, na tarde desta quarta-feira (11), que recebeu a denúncia do Ministério Público Estadual (MPE), que o acusa de integrar o núcleo de liderança de organização criminosa, corrupção passiva (20 vezes) e obstrução à Justiça, no âmbito da Operação Rêmora, com “estranheza”.

O parlamentar é acusado pelo próprio primo, o empresário Alan Malouf de se valer das influências políticas proporcionadas pelo cargo público que exerce para promover as articulações necessárias para o desenvolvimento dos esquemas criminosos voltados para solicitação e recebimento de propinas em contratos de obras com a Secretaria de Educação do Estado (Seduc).

“O deputado estadual Guilherme Maluf disse, por meio de sua assessoria, que recebeu com estranheza a denúncia do MPE, já que durante toda a investigação não foi apresentada nenhuma prova contra ele. O deputado contesta com veemência a tese de ‘embaraçamento’ da investigação ou tentativa de intimidação de qualquer dos acusados, argumento falso utilizado por um deles para sair da cadeia”, diz trechos da nota.

O deputado destaca, ainda, que sempre “forneceu ao MPE todas as informações solicitadas e continua à disposição para qualquer esclarecimento”.

Maluf encerra o comunicado afirmando que “não tem envolvimento com qualquer possível irregularidade ocorrida na secretaria de Educação e que confia na Justiça, onde provará sua inocência”.

Além de Guilherme Maluf, o MPE afirma que núcleo de liderança da organização tinha a participação do ex-secretário de Estado de Educação, Permínio Pinto Filho.

As investigações, conduzidas pelo Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco), apontam que foi Alan Maluf que articulou junto ao ex-secretário de Educação a inserção de Giovani Belatto Guizardi, pessoa de sua confiança com quem guarda parentesco, na condição de operador de cobrança e recebimento de vantagens ilícitas relacionadas a obras públicas da Seduc, garantindo assim o pleno controle sobre as atividades ilícitas do grupo delituoso.

Sendo assim, o Ministério Público garante que Permínio Pinto Filho, Alan Maluf e Guilherme Maluf se mantinham “nas sombras”, comandando e agindo por pessoas interpostas que se encontravam nas demais camadas da organização.

Na denúncia oferecida nesta terça-feira pelo Naco, além do deputado Guilherme Maluf, também foi denunciado o seu segurança por embaraçamento de investigação, Milton Flávio de Brito Arruda.

Leia mais:

MPE denuncia deputado Maluf como líder de organização criminosa











(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Teka Almeida  12.10.17 08h56
Agora quer roubar até o título que deram ao Riva....

Responder

5
0
Paulo  12.10.17 04h20
Esse meliante tem que ir pra cadeia!

Responder

4
0

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER