15.05.2018 | 13h11


CASA DOS HORRORES

Justino ignora regimento e aprova reeleição para presidente

A oposição ao presidente da Câmara de Cuiabá, Justino Malheiros, no entanto, vai recorrer da votação, por acreditar que a alteração beneficia a reeleição do atual gestor.


DA REDAÇÃO

Com o voto minerva do presidente da Câmara de Cuiabá, Justino Malheiros (PV), os vereadores aprovaram nesta terça-feira (15) a mudança no Regimento Interno, que permite a reeleição da Mesa Diretora da Casa. A oposição a Justino, no entanto, vai recorrer da votação, por acreditar que a alteração beneficia a reeleição do atual gestor.

“Este é o dia em que o presidente rasgou o Regimento Interno da Casa. Vou recorrer à Justiça para ter meu direito de vista respeitado e anular essa decisão”, disse Gilberto Figueiredo ao final da votação.

A votação teve início na semana passada e ocorreu sob intensa discussão entre os parlamentares, uma vez que o Regimento prevê que mudanças em seu texto precisem de quórum qualificado para aprovação, ou seja, dois terços dos vereadores teriam que votar de forma favorável para que a mudança fosse considerada.

Entretanto, Justino evocou a Lei Orgânica municipal e colocou o projeto em votação com maioria simples, o que aponta a necessidade de apenas 13 votos favoráveis para a mudança no Regimento Interno.

O vereador Gilberto Figueiredo (PSB) considerou uma “afronta” a iniciativa do presidente da Câmara e pediu vista do projeto, que foi negada por Justino. O vereador Dilemário Alencar (PROS) também teve pedido de vista indeferido pelo presidente da Casa de Leis municipal.

“Este é o dia em que o presidente rasgou o Regimento Interno da Casa. Vou recorrer à Justiça para ter meu direito de vista respeitado e anular essa decisão”, disse Gilberto ao final da votação.

O vereador Diego Guimarães (PP) tentou por fim à discussão lembrando que a eleição para a Mesa Diretora deverá ocorrer somente em agosto.

“Estamos antecipando uma discussão desnecessária. É a antecipação da eleição, que só vai ocorrer daqui três meses. A mudança no regimento não prevê validade para esta legislatura e, se por ventura, o atual presidente decidir disputar a função e outro parlamentar questionar, a candidatura poderá ser impugnada”, explicou o progressista.

Doze votaram contra a mudança no regimento e outros doze pela aprovação do projeto, o que levou Justino a desempatar, votando pela alteração. Foram contrários os vereadores Dilemário Alencar, Marcelo Bussiki (PSB), Abílio Júnior (PSC), Adevair Cabral (PSDB), Gilberto Figueiredo, Juca do Guaraná Filho (PT do B), Lilo Pinheiro (PRP), Toninho de Souza (PSD), Joelson Amaral (PSC), Paulo Araújo (PP), Misael Galvão (PSB) e Chico 2000 (PR).

O projeto

O projeto foi proposto pelo vereador Marcrean Santos (PRTB), em março desse ano, e prevê que “a eleição para renovação da Mesa Diretora, observará o disposto no artigo 22 deste Regimento Interno, sendo permitida a recondução sucessiva para o mesmo cargo na mesma legislatura”.

Nos bastidores, no entanto, Misael Galvão trabalhava para que a proposta não seja aprovada, já que tem a pretensão de disputar a presidência da Mesa contra Justino, que tem o apoio do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) para a reeleição.

Na semana passada, o presidente da Câmara tentou amenizar o assunto e chegou a declarar que ainda não decidiu pela reeleição.

“Estou pensando ainda. Não sei se vou ser candidato à reeleição”, afirmou ele.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER