13.07.2019 | 17h00


CANDIDATURA PRÓPRIA

Júlio revela lista de cotados do DEM para disputar a Prefeitura de Cuiabá em 2020

Meta do DEM é ter candidatura própria, mas se não conseguir lançar nenhum desses nomes, considerados fortes, o DEM pode se aliar até com Emanuel Pinheiro.


DA REDAÇÃO

O secretário-geral do DEM em Mato Grosso, ex-governador Júlio Campos afirmou, nesta semana, que a prioridade do partido é de lançar candidatura própria à Prefeitura de Cuiabá, no ano que vem.

Júlio destaca que a sigla vem forte para eleições de 2020, com pelo menos quatro bons nomes para a disputa pelo Palácio Alencastro, seriam eles: Fábio Garcia, suplente do senador Jayme Campos; Gilberto Figueiredo, atual secretário de Estado de Saúde; Roberto França, ex-prefeito de Cuiabá e Mauro Carvalho, secretario-chefe de Casa Civil do Governo Mauro Mendes, que deve se filiar ao Democratas.

Júlio, no entanto, ponderou que em caso de recuo dessas candidaturas, e não havendo um nome forte do DEM para disputar a Prefeitura de Cuiabá, "aí é preferível compor dentro do arco de coligação", que pode vir até mesmo com o atual prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), encabeçando a chapa.

Pinheiro e o governador Mauro Mendes têm trocado farpas em declarações na imprensa, o que pode minar uma possível aliança entre as duas siglas.

Mas, apesar da rusga, Júlio destaca que em política tudo é possível, pois "ela só não consegue segurar a morte e que o resto é tudo dialogável".

Lembrou também que DEM e MDB possui uma aliança histórica, de quase 60 anos, que começou com o pai de Júlio Campos - Júlio Domingos de Campos, o ‘Seo Fiote’ – lançando Emanuel Pinheiro da Silva primo, pai do prefeito Emanuel Pinheiro, para deputado estadual, em 1962. "Ninguém pode desconhecer da nossa aliança pessoal com os Pinheiros".

Porém, voltou a ponderar que não significa "que essa amizade pessoal, fraternal" se traduza em apoio político.

"Tanto é que na eleição passada ele [Emanuel Pinheiro] foi candidato e nós, democratas, apoiamos Wilson Santos (PSDB)".

Júlio avalia que 2020 "é outro processo" e a "meta nossa é lançar um candidato próprio em Cuiabá". "Não é de hoje que estamos travando essa batalha", enfatizou a liderança democrata.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Pedro  13.07.19 18h14
O que está múmia tá fazendo aí. Ele devia explicar suas ligações com traficantes na ditadura

Responder

1
0

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER