19.05.2017 | 19h20


"BELA DO CRIME"

Jovem que planejou roubo e morte de casal é condenada a 46 anos

Aline Maria Leonardo de Macedo, 21, foi considerada culpada pela autoria do latrocínio de um casal, o ex-chefe dela, dono de um lava jato, Claudemilson Ferreira, e a esposa, Alessandra Scheffer.


DA REDAÇÃO

O juiz da 2ª Vara Criminal e Cível da Comarca de Juara (cerca de 700 km de Cuiabá), Alexandre Sócrates Mendes, condenou a 46 anos de prisão, em regime fechado, Aline Maria Leonardo de Macedo, de 21 anos, por duplo latrocínio (roubo seguido de morte) e corrupção de menores.

Aline, que ficou conhecida como “a bela do crime”, foi considerada culpada pela autoria do latrocínio de um casal, o ex-chefe dela, dono de um lava jato, Claudemilson Ferreira, e a esposa, Alessandra Scheffer. O crime ocorreu em 13 outubro de 2015. Os corpos das vítimas foram encontrados às margens de uma estrada vicinal no dia seguinte.

A defesa argumentou que não há provas a respeito da autoria, pois a acusada não participou efetivamente das execuções. Porém, o magistrado não acolheu as alegações.

“De maneira fria e calculista a acusada escolheu seu antigo patrão para ser a vítima, escolhendo e indicando aos menores infratores quem seria a vítima de um assalto, a hora, local e como agiriam”, disse o juiz, em sua decisão.

De maneira fria e calculista a acusada escolheu seu antigo patrão para ser a vítima, escolhendo e indicando aos menores infratores quem seria a vítima de um assalto, a hora, local e como agiriam”, disse o juiz, em sua decisão.

“Em momento algum a acusada intercedeu em favor das vítimas. Ao contrário, consoante afirmou o menor W. a acusada falou para matarem a vítima Claudemilson e preservarem a vida de Alessandra e depois relatando que como Alessandra também a teria reconhecido chegaram à conclusão que seria mais seguro ceifar a vida dos dois”, afirmou Alexandre, em outro trecho.

A denúncia do Ministério Público afirma que Aline contratou dois adolescentes, um de 13 e outro de 17 anos para assaltar o ex-chefe. Um deles possuía uma arma de fogo para executar o crime e o outro se apossou de uma faca. Os três foram até o lava jato, nos fundos da residência do casal, aguardar pelas vítimas, que foram surpreendidas pelo trio.

O casal foi levado para o quarto, amarrado com uma corda e teve as cabeças cobertas com fronhas de travesseiros, enquanto os criminosos reviraram a casa e roubaram um perfume feminino e R$ 60 em dinheiro.

As vítimas foram colocadas na S-10 de Claudemilson e levadas até uma estrada vicinal, onde trio ordenou que o casal descesse, mas o marido tinha conseguido se soltar das amarras e reagiu contra um dos menores, que estava armado. O homem foi morto com disparos que o atingiram na cabeça e na costela.

Alessandra foi morta com três tiros, um deles disparado na altura do pescoço, a curta distância. A ação dos bandidos não ofereceu possibilidade de defesa para a vítima que estava amarrada e encapuzada.

Após as execuções, o trio fugiu e no percurso acabou capotando o veículo, que foi abandonado no local do acidente. Um dos adolescentes confessou que o menor matou as vítimas porque o homem viu o rosto de Aline e a reconheceu.

Logo após o latrocínio, o garoto de 13 anos foi apreendido em Sinop (a 500 km), pela equipe da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf). Já Aline foi detida em Tangará da Serra (a 250 km da Capital). Ela confessou em rede social ser a mentora do crime e disse à Polícia Civil que se apresentou porque tinha medo de sofrer represálias por parte de um dos menores, que seguia foragido.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER