04.05.2019 | 07h45


ADMINISTRAÇÃO DEFINITIVA

Governo pode transformar Santa Casa em hospital estadual

Hospital filantrópico passou a ser administrado pelo Governo de forma temporária, com o objetivo de reabrir a unidade e pagar os sete meses de salários atrasados dos funcionários.


DA REDAÇÃO

O secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho disse que a intenção do Governo é de estadualizar a Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá, que desde quinta-feira (02) passou a ser administrada temporariamente pelo Estado.    

 

“Cuiabá nunca teve um hospital estadual. Essa unidade da Santa Casa agora passa a se chamar ‘Unidade Hospitalar Estadual de Alta Complexidade’. Não é um hospital regional. É um hospital estadual. É essa denominação e é isso que queremos construir dentro da Santa Casa”, enfatizou Mauro Carvalho.

“Cuiabá nunca teve um hospital estadual. Essa unidade da Santa Casa agora passa a se chamar ‘Unidade Hospitalar Estadual de Alta Complexidade’. Não é um hospital regional. É um hospital estadual. É essa denominação e é isso que queremos construir dentro da Santa Casa”, enfatizou o gestor nesta sexta-feira (03), em entrevista ao Jornal da Capital da Rádio Capital FM (101.90).  

Ainda na quinta, governador Mauro Mendes (DEM) também deu sinais para uma possível estatização permanente da Santa Casa, durante coletiva à imprensa. No entanto, ponderou que ainda seria muito cedo para falar disso e no momento a medida mais correta era a “Requisição Administrativa” do hospital.

“É uma decisão que nós teremos longos meses e até anos para tomar [estadualização]. Nesse momento, a única alternativa jurídica e financeira que nós tínhamos era essa [Requisição Administrativa], pois trazia segurança ao Estado e também preservava o interesse publico”, justificou.

Lembrou que antes de sua execução, o plano foi apresentado pessoalmente ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que deu aval a medida, inclusive garantido aporte de recursos do Governo Federal.

Acrescentou ainda que o plano foi elogiado pela Assembleia Legislativa, Prefeitura de Cuiabá e Ministério Público Estadual (MPE), que também entenderam que intervenção estatal era o melhor caminho para Santa Casa.

“Todos concordaram que parecia, não a única, mas a melhor alternativa. O que faremos daqui um ano, dois ou três anos, nós teremos um longo tempo para poder implementar as ações, as medidas e decidir isso [estadualização] depois”, argumentou o governador.

O objetivo da Requisição Administrativa é reabrir a unidade que está fechada desde dia 11 de março e pagar os sete meses de salários atrasados dos funcionários.  A Santa Casa possui dívidas na ordem de R$ 118 milhões.

Na prática, a medida possibilita que o Governo use a estrutura, visando garantir o retorno do serviço de atendimento a pacientes do SUS. A administração emergencial será custeada a partir de recursos do Governo Federal, Governo do Estado, Prefeitura de Cuiabá e Assembleia Legislativa.

Leia mais

Mauro anuncia que Governo passa a comandar a Santa Casa

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER