26.02.2017 | 10h45


ELEIÇÕES 2018

Ezequiel diz que PP tem candidato, mas não é 'do contra'

O partido participou de uma reunião com siglas de oposição, mas ele garantiu que não era intenção compor o bloco.


DA REDAÇÃO

O deputado federal e presidente estadual do PP, Ezequiel Fonseca, negou que a legenda tenha a intenção de deixar a base do Governo Pedro Taques (PSDB). Durante a semana passada, o partido participou de uma reunião com siglas de oposição, mas ele garantiu que não era intenção compor o "bloco do contra".

"Nossa posição não diz respeito a entrar ou sair da base. Temos um candidato majoritário para as eleições de 2018 e vamos conversar com todos. Não tenho como saber o que vai acontecer até lá”, assegurou o deputado.

“O PP não tem dono, é um partido que ouve seu diretório e estamos, no momento, na base do Governo. Nossa posição não diz respeito a entrar ou sair da base. Temos um candidato majoritário para as eleições de 2018 e vamos conversar com todos. Não tenho como saber o que vai acontecer até lá”, assegurou o deputado.

Ezequiel disse não entender porque a participação do partido na reunião liderada pelo PMDB causou tanta polêmica.

“Estávamos em uma reunião dos partidos que compõem a base que elegeu o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB). De repente, virou essa confusão absurda. Eu nem sabia que seria uma conversa de partidos para 2018”, afirmou.

Para o parlamentar houve um equívoco de interpretação de suas palavras. “Eu critiquei o atual Governo em alguns pontos, sim. Não acho que está às mil maravilhas e não vou parar de dizer que esse projeto, da forma como está, fracassou. É preciso repensar ou partir para outro. Mas também elogiei a atitude do governador em voltar atrás e mesclar seu staff com técnicos e políticos. Acho que vamos avançar agora”, disse ele.

“Estávamos em uma reunião dos partidos que compõem a base que elegeu o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB). De repente, virou essa confusão absurda. Eu nem sabia que seria uma conversa de partidos para 2018”, afirmou.

O presidente do PP em Mato Grosso garantiu que todo o partido está empenhado em apoiar Pedro Taques no que for preciso, mas não tem intenção de fazer parte do staff estadual.

“Podemos ajudar com a indicação de emendas e liberação de recursos federais. Temos o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, empenhado em destravar recursos e melhorias para o Estado, mas não vamos estar no governo”, reafirmou.

Para ele, o momento agora é de buscar novos filiados.

“Temos um projeto próprio e um nome para o Governo, que pode ser o do secretário nacional de Políticas Agrícolas, Neri Geller, ou do ex-prefeito de Água Boa, Maurício Tonhá. Também temos um nome para a candidatura nacional, que é do Blairo Maggi, mas agora temos que pensar em fortalecer o partido”, finalizou Ezequiel.  











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER