11.07.2018 | 07h00


ARTICULAÇÕES PELO PAIAGUÁS

Emanuel nega ter mágoa de Mendes e descarta veto à aliança com o DEM

As declarações são referentes à possibilidade de aliança entre o DEM e o MDB para a campanha de Mauro Mendes ao Governo. O prefeito coordenou a campanha do democrata à Prefeitura, mas ele apoiou Wilson Santos em 2016.


DA REDAÇÃO

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) negou qualquer rusga com seu antecessor, Mauro Mendes, e descartou ter veto contra a possível aliança entre seu partido o MDB e o partido do ex-prefeito, o Democratas, que trabalha para lançar a candidatura dele ao Governo do Estado.

Na terça-feira (10), Emanuel lembrou à imprensa que teve forte atuação na eleição de Mauro Mendes à Prefeitura.

“Eu sempre me dei muito bem com o Mauro. Eu fui coordenador geral de campanha dele para prefeito da Capital. Aliás, a única eleição que ele ganhou. Você vê que eu sou pé quente”, lembrou Emanuel.

A possibilidade da aliança entre o DEM e o MDB surgiu depois de uma reunião, no último final de semana entre os presidentes estaduais dos partidos, os deputados federais Fábio Garcia e Carlos Bezerra, respectivamente. Na oportunidade foi discutida a possiblidade de união entre as duas siglas visando as eleições majoritárias para o Senado e Governo.

“Eu sempre me dei muito bem com o Mauro. Eu fui coordenador geral de campanha dele para prefeito da Capital. Aliás, a única eleição que ele ganhou. Você vê que eu sou pé quente”, lembrou Emanuel.

“A arte da política é o diálogo. Primeiro que você conversar não arranca pedaço. E segundo, não obriga fechamento com ninguém. Eu não vejo nenhum problema do meu partido conversando com as demais forças políticas e não há veto a ninguém”, argumentou.

Em 2016, quando a disputa pela Prefeitura de Cuiabá se polarizou entre Pinheiro e Wilson Santos (PSDB), Mendes, então no PSB, declarou apoio aos tucanos.  Emanuel afirma que não guarda mágoa e que tem uma boa relação com o democrata.

O prefeito, no entanto, ponderou que o MDB desde o ano passado constrói um arco de aliança com o grupo do senador Wellington Fagundes (PR) – também pré-candidato ao Governo do Estado. Diante desse cenário, ele acredita que seria difícil uma mudança repentina nos rumos do partido.

“Nós temos um candidato posto, colocado, discutido entre os vários partidos - com o MDB, PR, PP, PTB e Avante – que é a pré-candidatura do senador Wellington Fagundes. Mas dialogar, repito, não retira pedaço de ninguém”, reforçou.

Política partidária

Pinheiro destacou também que a partir desta quarta-feira (11) participará diretamente das articulações políticas do MDB visando o processo eleitoral.

“Tenho uma agenda com o senador Wellington e o deputado federal Ezequiel Fonseca (PP) amanhã a noite em Brasília. É uma reunião política, para falar das eleições, pois já me comprometi com as lideranças do meu partido que eu participarei mais ativamente do processo eleitoral deste ano”, enfatizou.

Leia mais 

Fábio Garcia projeta aliança com MDB; PSD estaria ‘muito próximo’

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER