03.01.2019 | 14h12


NOIVA DA VEZ

Deputado não eleito pode virar interlocutor da Casa Civil com Assembleia

No Governo Mauro Mendes, Zé Domingos está cotado para fazer articulação com o Legislativo.


DA REDAÇÃO

O deputado estadual Zé Domingos Fraga (PSD) aguarda entendimento entre o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, e o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), para decidir qual será seu futuro político.

O parlamentar, que se despede da Assembleia no próximo dia 31, disse que recebeu convite de Mauro Carvalho para assumir um cargo que faça interlocução com o Legislativo.

No entanto, ele também é cotado para assumir a Secretaria de Articulação Institucional na Assembleia. A criação da pasta ainda está em análise e teria função de assessorar a presidência da Casa.

“Como já estou adaptado aqui [Assembleia Legislativa], minha vontade, sem sombra de dúvidas, era continuar na Casa. Mas como a uma vontade grande do futuro secretário, da Casa Civil, (...) pretendo aguardar essa decisão para que depois eu possa ver onde fica melhor para desenvolver meu trabalho”, disse ao .

Ainda segundo o parlamentar, a sua experiência como deputado por 12 anos, o conhecimento do regimento interno e dos trâmites do Legislativo o possibilitam ocupar qualquer um dos dois cargos.

Fraga não entrou na disputa das eleições do último ano depois de aparecer em um vídeo recebendo suposta propina de Sílvio Corrêa, ex-chefe de Gabinete do ex-governador Silval Barbosa.

Articulação Institucional

Tramita no Legislativo um projeto de Lei da Mesa Diretora que cria a Secretaria de Articulação Institucional para assessorar, assistir e representar a presidência em assuntos de interesse da Assembleia junto a instituições estaduais, municipais e da sociedade.

O documento prevê a criação de nove cargos sendo secretário com salário de R$ 19,2 mil, supervisor com salário de R$ 13,4 mil, coordenador com salário de R$ 10,1 mil, dois gerentes com salários de R$ 9,2 mil e quatro assessores com salários de R$ 11,1 mil. O salário deve ser composto pela remuneração mais o auxílio alimentação.

Leia mais

Assembleia pode criar secretaria para acomodar deputados que não se reelegeram

 











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Teka Almeida  03.01.19 14h44
É pelo jeito o CRIME COMPENSA. E viva o emprego público e o lixo do dinheiro do contribuinte.

Responder

7
2
Matéria(s) relacionada(s):

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER