10.10.2017 | 21h31


UNIMED CUIABÁ

ANS rejeita defesa e manda diretoria deixar cargos; um renuncia

A ANS é responsável por controlar as operadoras de planos de saúde e já tinha determinado, em setembro deste ano, que os diretores da Unimed Cuiabá entregassem seus cargos em até 48 horas.


DA REDAÇÃO

A Agência Nacional de Saúde (ANS) indeferiu o pedido da Unimed Cuiabá de manter o médico Eloar Vicenzi como administrador da cooperativa, após denúncias do de que diretores da instituição acumulavam cargos. O diretor financeiro Hudson Marcelo da Costa já se adiantou e entregou o cargo.

De acordo com a legislação, seus membros deveriam ter sido exonerados dos respectivos cargos no setor público, antes mesmo da eleição. Vale lembrar que, além das incompatibilidades relatadas aqui, a diretoria também teria cometido falsidade ideológicajá que todos os membros assinaram um documento atestando estar  em plenas condições para exercício do  mandato na operadora de planos de saúde.

Em nota, a Unimed Cuiabá disse que vai atender a determinação, mas vai promover novas eleições apenas no dia 4 de dezembro.

A ANS é responsável por controlar as operadoras de planos de saúde e já tinha determinado, em setembro deste ano, que os diretores da Unimed Cuiabá entregassem seus cargos em até 48 horas, mas a empresa de planos de saúde apresentou impugnação.

Diante do indefereimento da ANS, a Unimed deve substituir o cargo de Eloar no prazo de até 30 dias.

A instituição afimrou por meio de nota que outra pessoa assume no lugar de Eloar e, em dezembro, haverá nova eleição da diretoria. 

“A Unimed Cuiabá promoverá eleições também para a substituição do diretor de Relacionamento e Intercâmbio. O substituto será eleito no mesmo pleito que escolherá o novo diretor Financeiro”, diz trecho da nota. 

Os membros da diretoria são acusados de acúmulo de cargos público e privado, o que é proibido pelo Estatuto do Servidor e infringe a Lei Complementar Estadual nº 4, de 1990, que estabelece a proibição aos servidores estaduais de “participar de gerência ou administração de empresa privada, de sociedade civil, ou exercer comércio e, nessa qualidade, transacionar com o Estado”.

A primeira denúncia do caso, foi feita em agosto de 2015, pelo .

Em julho deste ano o Ministério Público do Estado (MPE) protocolou a denúncia contra o presidente Rubens Carlos de Oliveira Júnior, o vice-presidente Arlan Azevedo Ferreira, o diretor Financeiro Hudson Marcelo da Costa e o diretor de Intercâmbio e Relacionamento da Unimed Cuiabá, Eloar Vicenzi.

À época, o diretor financeiro Hudson Marcelo da Costa entregou o cargo na Unimed e o presidente Rubens Carlos de Oliveira Júnior pediu a exoneração de seu cargo no Estado, mas permanece na presidência da cooperativa. Eloar se manteve até então na administração sob alegação de não manter vínculos com o Estado (veja decisão aqui).

Leia a nota na íntegra

"A Unimed Cuiabá promoverá eleições também para a substituição do Diretor de Relacionamento e Intercâmbio. A medida foi aprovada em reunião do Conselho de Administração, Conselho Fiscal, Comissão de Defesa Cooperativista e membros da Comissão Eleitoral, realizada hoje. 

A providência é para atendimento ao determinado no ofício 592/2017 da ANS, que não acatou impugnação do ex-diretor no processo por descumprimento à RN 311/2012. Esta Resolução Normativa define, entre outros assuntos, critérios para o cargo de administrador de operadoras de saúde.

O substituto será eleito no mesmo pleito que escolherá o novo Diretor Financeiro, em substituição ao Hudson Marcelo da Costa, que renunciou no mês passado, em decorrência do mesmo processo. A eleição está marcada para 4 de dezembro de 2017.

“Depois de uma batalha árdua em defesa do mandato do diretor, só cabe à nossa gestão o cumprimento da determinação da ANS”, afirmou o presidente da Unimed Cuiabá, Rubens Carlos de Oliveira Jr., acrescentando que as punições previstas pela Agência em caso de descumprimento são severas. “Como gestor, cabe-nos em qualquer circunstância, a obediência à lei”, reconheceu o presidente.

O cargo de Diretor de Intercâmbio e Relacionamento, a partir de hoje até a eleição, será acumulado pela Diretora de Mercado, Suzana Palma, conforme previsão estatutária. “O funcionamento administrativo da Cooperativa não se altera com estas mudanças que são temporárias. O atendimento aos clientes permanece no mesmo padrão Unimed”, garantiu Rubens Carlos.

Como é de conhecimento público, o processo na ANS foi instaurado a partir de denúncia feita por um cooperado durante o processo eleitoral. Ele fez a acusação baseado em uma prática comum em todo sistema cooperativista no país e também na Unimed Cuiabá, onde ele próprio, servidor público, foi membro da gestão por dois mandatos."

Leia mais

ANS destitui diretoria da Unimed Cuiabá por irregularidades em eleição

Promotor do MP investiga diretoria por acúmulo de cargos público e privado

ANS multa empresa em quase R$ 1 milhão por descumprir de normas











(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Luis Fernando  11.10.17 11h01
Excelente comentário, retratou bem a imagem da empresa!

Responder

1
1
TÉRCIO  11.10.17 09h08
Tem que se analisar os fatos que estão por tras disso. A muito tempo a diretoria briga entre sí. Desde a união de 2 chapas para alcançar a presidência da unimed. Assim que conseguiram, se instituiu uma disputa interna que acontece até hoje, deixando a cooperativa quase inoperante e parada. Esta denuncia partiu do próprio presidente da Unime, senhor Rubens, com o objetivo de tirar o senhor Eloar e o vice presidente Arlan. Mantendo assim na diretoria, apenas pessoas da sua chapa. Lá é um verdadeiro VALE TUDO PELO PODER. São todos aprendizes de políticos, que leram Maquiável e acham que sabem tudo . Quem perde com isso , SENHOR RUBENS, é a cooperativa que está sem direção. Já já vem a eleição e todos serão santinhos novamente. UM ABSURDO.

Responder

6
2

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER