11.06.2019 | 11h40


CONVERSAS VAZADAS

Aliados de Bolsonaro, senadora e deputado saem em defesa de Moro

A juíza aposentada Selma Arruda disse vê superexposição e garante que Moro não ultrapassou limite ético. Já o vice-líder do Governo declarou que Operação Lava Jato desmontou o maior esquema de corrupção e merece todo apoio.


DA REDAÇÃO

A juíza aposentada e senadora Selma Arruda (PSL) e o vice-líder do Governo Bolsonaro na Câmara Federal, deputado José Medeiros (Podemos) saíram em defesa do ex-juiz e atual ministro da Justiça Sérgio Moro em relação ao teor das conversas vazadas entre o ex-juiz e o coordenador da força tarefa da Lava-Jato, o procurador Deltan Dallagnol, publicadas pelo site The Intercept Brasil.

De acordo com o Intercept, o então juiz Sérgio Moro orientou o procurador Dallagnol sobre um informante que poderia ser ouvido na investigação contra o ex- presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Além disso, segundo o site, Moro fala sobre a demora em deflagrar novas operações da Lava Jato.

Para Selma Arruda, é difícil, neste momento, exprimir uma opinião acertada sobre o assunto porque os vazamentos vêm apenas de conteúdos reportados, ou seja, não há a íntegra das conversas.

 

"Pegamos uma frase ou duas e tiramos conclusão, por isso é muito prematuro falar nisso", comentou.

“O juiz Sérgio Moro, ainda que tenha sido autor dessas frases, ele não ultrapassou os limites do que é ético do que é legal. Essas conversas costumam ser naturais entre colegas de trabalho", avaliou Selma Arruda.

“O juiz Sérgio Moro, ainda que tenha sido autor dessas frases, ele não ultrapassou os limites do que é ético do que é legal. Essas conversas costumam ser naturais entre colegas de trabalho. Você trabalha o tempo todo com determinadas equipes de promotores, delegados e até mesmo advogados e você troca ideias com eles, isso é natural”, avaliou.

A senadora também alertou que caso o conteúdo seja verdadeiro isso não irá inocentar o ex-presidente Lula, preso após ser condenado por Moro e ter a pena confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) em 12 anos e 1 mês por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex no Guarujá, reduzida, posteriomente, pelo Superior Tribunal de Justiça para 8 anos e 10 meses.

"Entendam, definitivamente, que o tempo de poder dos inimigos desta nação já se foi”, declarou José Medeiros.

“Estão fazendo uma superexposição numa coisa que está sendo vista de forma parcial. Ainda que tudo conteúdo seja verdadeiro e todo contexto leve a crer que está sendo noticiado seja verdade, isso não inocenta ninguém, não desconstitui provas e não é motivo para anulação de processo”, argumentou Selma.

Já o deputado federal José Medeiros escreveu nas redes sociais que tem a certeza de que Moro está do lado correto. Ele lembra que a Operação Lava Jato desmontou o maior esquema de corrupção já conhecido na história do Brasil e merece o apoio.

“Quem levanta a voz para querer anular condenação e pede liberdade a todos aqueles que roubaram o país não faz isso pelo Brasil. Entendam, definitivamente, que o tempo de poder dos inimigos desta nação já se foi”, declarou o vice-líder de Bolsonaro.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Ivo  11.06.19 12h46
Dois malas a senadora e esse deputado qdo e com outros e verdade agora qdo e com os malas que ele apoia e ilegal . A casa caiu e a dos dois esta proximo. Vcs tbm e uma farsa e o povo ja viu o erro q fe em eleger esse coloio e suas mentiraa

Responder

1
1

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER