13.11.2017 | 12h02


ACUSAÇÃO DE CAIXA 2

A pedido de Janot, ministro do STF arquiva investigação contra Taques

Taques foi acusado pelo ex-secretário do ex-governador Silval Barbosa, Pedro Nadaf, por suposto crime de caixa 2 durante a campanha eleitoral de 2014.


DA REDAÇÃO

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou o arquivamento de uma investigação contra o governador Pedro Taques (PSDB) por suposto crime de caixa 2 durante a campanha eleitoral de 2014, denunciado pelo do ex-secretário Pedro Nadaf em acordo de delação premiada.

A decisão de Fux atendeu a um pedido do então procurador-geral da República (PGR), Rodrigo Janot, enviado ao Supremo no dia 29 de maio deste ano, considerando que a acusação foi apenas uma "cogitação" de Nadaf durante depoimento aos procuradores federais.

Arquivamento do Termo de Declaração nº 45 (Anexo XLV) e documentação correlata (fls.1534/1538), uma vez que os fatos narrados são manifestantes atípicos, pois o eventual delito de falsidade ideológica eleitoral (“ caixa-dois”) CE, art.350), não ultrapassou a fase de cogitação”, diz trecho do documento.

No documento de confissão, prestado em 2014, Nadaf contou que Alan Malouf, sócio do Buffet Leila Malouf, em Cuiabá, havia o procurado com o objetivo marcar uma reunião entre o então governador Silval Barbosa (PMDB) e o candidato ao Governo do Estado Pedro Taques.

Malouf, empresário e amigo do declarante [Nadaf], ocupava o cargo de coordenador financeiro do então candidato Pedro Taques. Alan Malouf procurou o declarante, tendo como finalidade agendar encontro entre Silval Barbosa e Pedro Taques. Com a anuência de Silval Barbosa a reunião foi marcada na residência de Alan Malouf (Condomínio Japuíra, Santa Rosa)”, afirma trecho do termo de colaboração premiada.

No encontro, segundo Nadaf, Taques teria solicitado R$ 10 milhões para a campanha, porém, Silval não se comprometeu com a quantia, mas 'queria ajudar'. No entanto, Taques rejeitou a proposta. 

Pedro Taques venceu a eleição e Silval Barbosa pediu ao declarante [Nadaf] que procurasse Alan Malouf e informasse que Silval ajudaria com a quantidade R$ 5 milhões. Alan Malouf trouxe um recado de Pedro Taques, dizendo que este último não tinha mais interesse na ajuda financeira por parte de Silval Barbosa”, destacou Nadaf no depoimento.

A decisão do arquivamento de investigação contra Taques ainda não foi públicado no Diário Oficial da Justiça pela Suprema Corte.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Laura  13.11.17 20h22
Como um procurador, que é um velho amigo do Pedro Taques atua no processo em que ele é acusado. O Janot jogou o MPF na lama, sem mais.

Responder

2
0

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER