14.09.2018 | 07h55


CLÁUDIO CORDEIRO

Próximos da reta final

Tem candidato a governo até o momento equivocado, fazendo campanha direcionada apenas para sua militância

Estamos a 27 dias das eleições. Mais da metade do caminho já tem sido percorrido entre os candidatos e trabalhando nesse segmento tenho que admitir que o desafio tem sido maior a cada dia. É como traçar metas na vida adulta, você precisa abrir mão de algumas coisas para conquistar aquilo que mais almeja.

Pesquisas eleitorais mostram que a disputa entre os candidatos do Estado está sendo bastante acirrada, é claro que vence aquele que mais se destaca. Que mais mostra serviço prestado. Que possuí propostas interessantes que vai alcance dos seus eleitores. Que articula estratégias importantes e claro, conquista a confiança do eleitorado. Tem candidato a governo até o momento equivocado, fazendo campanha direcionada apenas para sua militância e não para o publico alvo, que é quem elege. Talvez, lançar mão de grandes produções e fazer o feijão com arroz seja o derradeiro.

Venho falando nos últimos artigos sobre estratégia de marketing político eleitoral e pontuando algumas dicas de como esse trabalho pode sim trazer ótimos resultados se colocados em prática, obviamente, e neste artigo não será diferente.

- A primeira é, crie uma causa para seus esforços. Você deve oferecer aos eleitores uma razão pela qual votar em você além do seu nome. Decida que causas irá representar, acerte seu slogan de campanha que corresponda às suas crenças.

- Invista na campanha, no trabalho e no engajamento. Concorrer a um cargo público é um processo que precisa ser investido, principalmente com material gráfico e conteúdos multimídias. Crie propagandas de apelo pessoal de modo que o povo possa se identificar com suas propostas.

Um candidato potencial deve compreender os aspectos importantes na concorrência por uma campanha política. Elabore o esboço de seu discurso, delineando as razões que lhe tornam o melhor candidato e exibindo as formas nas quais você pretende aprimorar a região, e ainda mais importante, peça o voto de seus ouvintes.

Concorrer a um cargo público pode ser um empreendimento exaustivo, não importando qual seja o setor governamental almejado. Uma campanha política requer operações 24 horas por dia, jamais cessando até que o momento das eleições esteja encerrado. Um bom conselho é pensar nisso como uma maratona, e não uma corrida rápida, o que significa que é preciso encontrar um ritmo confortável que possa ser mantido ao longo de toda a duração de sua campanha.

CLÁUDIO CORDEIRO é advogado e publicitário.

Os artigos assinados são de responsabilidade do autor, não apresentando, portanto, a opinião do site ReporterMT.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.


Confira também nesta seção:
22.02.19 08h23 »  A farsa do vazamento do Bebianno
22.02.19 08h20 »  Atuação do MPE perante o TCE
22.02.19 08h16 »  O pequeno empreendimento
22.02.19 08h13 »  Sem limites para sonhar
21.02.19 22h00 »  O Principal Erro das Pessoas Pobres é focar na escassez
21.02.19 08h14 »  WhatsApp e dano moral
21.02.19 08h09 »  Capitão, take it easy!
21.02.19 08h07 »  A barragem do Rio Manso
21.02.19 08h06 »  Concessão de terras públicas
20.02.19 08h06 »  A lei é para todos ou não?

Enquete

CONSELHEIRO DO TCE

Mauro Mendes deve aceitar indicação de Maluf para o TCE?

Sim, a vaga é da ALMT

Não, ele é réu e não possui notório saber

Não sei

Não, acatar seria uma vergonha para MT

Sim, Maluf foi indicado em disputa democrática

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER