14.03.2019 | 08h22


RENATO GOMES NERY

De remendo em remendo

O ensino de uma maneira geral é péssimo e precisa ser recuperado e refeito

O Brasil é o País dos remendos. Faz-se mal feito e depois remenda. As obras já são intencionalmente mal feitas, pois se ganha mais com a manutenção do que com na construção delas Os asfaltos deste Brasil afora são a comprovação inequívoca desta assertiva.

O ensino 2º grau é precário. Para minorá-lo inventaram os “cursinhos pré-vestibulares” que prometiam suprir em um ano o que o ensino regular não fez em 03 anos. E eles se transformaram, como se fosse normal, numa Instituição Nacional.  Os cursos de direito são ruins, com as devidas e limitadas exceções.  Então, concebeu-se o “Exame de Ordem. Assim como se cogita instituir o “Exame de Medicina” para tentar conter a enxurrada  de bacharéis  que estão e serão produzidos “a rodo” por mais de 300 faculdades de medicina.

Existe uma discussão apaixonada produzida por bacharéis mal formados para extinguir o “Exame de Ordem”. Este Exame impede que mais de 80% dos claudicantes bacharéis produzidos por mais de 1300 faculdades de direito, abertas em todos os cantos e recantos deste Brasil de “meu Deus”, sejam despejados no mercado.

E a demagogia de alguns oportunistas, aproveita desta onda, sob os auspícios de argumentos despropositados, para tentar acabar com o referido exame. Por que não melhoram a vergonhosa educação que temos? Por não propõem acabar com o Brasil torto criado, à socapa, por políticos oportunistas e aproveitadores?

O ensino de uma maneira geral é péssimo e precisa ser recuperado e refeito. Não existiriam “cursinhos” se o 2º grau fosse de qualidade. E nem “Exame de Ordem” se as faculdades de direito fossem boas. O CRM não cogitaria em criar um “exame” para os bacharéis médicos se todos eles fossem bem formados.

Enfim, a saída para o ensino superior no Brasil não deveria estar nos remendos! Entretanto, enquanto não se cria vergonha na cara, vai-se vivendo de remendos. Será que não é melhor viver de remendos do que abrir a porteira da irresponsabilidade e deixar a sociedade à mercê de rábulas e carniceiros, e outros tantos profissionais formados por faculdades movidas pela conveniência, pela corrupção e pela grana de um oportunismo crônico?

Nada que é ruim não pode piorar! Enquanto o conserto devido e reclamado não vem é melhor continuar de remendo em remendo. Tenho dito!

RENATO GOMES NERY é advogado.

Os artigos assinados são de responsabilidade do autor, não apresentando, portanto, a opinião do site ReporterMT.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.


Confira também nesta seção:
18.05.19 09h30 »  O Brigadeiro
18.05.19 09h30 »  VLT: deboche com 280 vagões
18.05.19 07h55 »  Riscos das novas gerações
18.05.19 07h55 »  BR 163 - do sonho a realidade – primeira parte
18.05.19 07h55 »  O amor de mãe
18.05.19 07h55 »  Maternidade
17.05.19 07h55 »  Feminicídio exacerbado!
17.05.19 07h55 »  Manifestações em defesa da educação pública
17.05.19 07h55 »  O jabuti da semana
17.05.19 07h55 »  Vendas pela internet e a taxa de conveniência

Enquete

R$ 65 MILHÕES

Você é a favor ou contra o corte de Bolsonaro no orçamento da UFMT e IFMT?

Sim, só produzem baderna

Não, vai piorar o nível dos cursos

Sim, a maior parte do gasto é com altos salários de servidores

Não, deveria aumentar os investimentos

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER