HELICÓPTERO CAIU

Morre em São Paulo o jornalista Ricardo Boechat, da Band

Aeronave caiu sobre caminhão na rodovia Anhanguera e deixou dois mortos e um ferido



SÃO PAULO - O jornalista Ricardo Boechat, de 66 anos, morreu em um acidente de helicóptero no início da tarde desta segunda-feira em São Paulo. A aeronave caiu sobre um caminhão no kk 22 da Rodovia Anhanguera, próximo ao Rodoanel Mário Covas.

Além de Boechat, também morreu o piloto do helicóptero, Ronaldo Quattrucci, segundo o Corpo de Bombeiros. O motorista do caminhão ficou ferido e foi socorrido. 

Segundo informações da Band, onde Boechat trabalhava atualmente, o jornalista voltava de Campinas, no interior de São Paulo, onde deu uma palestra.

O capitão Augusto Paiva, da Polícia Rodoviária, explicou que o helicóptero tentou fazer um pouso de emergência na rodovia quando foi atingido pelo caminhão, que havia acabado de passar pela cancela de cobrança automática do pedágio instalado na ligação entre o rodoanel e a Anhanguera.  O Centro de Investigações e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) vai investigar o acidente.

Boechat começou a carreira na década de 1970 no jornal Diário de Notícias, onde trabalhou com o colunista Ibrahim Sued e deu início a uma longa trajetória na área que o consagrou no jornalismo impresso: as colunas de notas. Nos anos 1980, foi para O GLOBO e assumiu a coluna Swann.

Foram duas passagens no jornal: na segunda, que se estendeu até 2001, foi durante anos o titular de uma coluna que levava seu nome.

Os furos jornalísticos renderam a Boechat três prêmios Esso, então a premiação mais importante da profissão.

O jornalista também passou pelo Jornal do Brasil e pelos jornais “O Estado de S. Paulo” e “O Dia”. E teve uma breve passagem como secretário de Comunicação Social do governo do Rio, na gestão de Moreira Franco, em 1987. 

Boechat falou cerca de três horas antes do acidente aéreo que sofreu sobre a sucessão de tragédias no Brasil e cobrou um posicionamento tanto da esfera pública quanto privada pelos incidentes com dezenas vítimas.  Em seu programa na Band News FM, o jornalista comentou uma notícia do jornal "O Globo", que realizou um levantamento sobre 10 casos trágicos, como o rompimento da barragem em Brumadinho (MG), o incêndio no centro de treinamento do Flamengo, o incêndio da boate Kiss e o desabamento do prédio do Largo Paissandu, em São Paulo.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Enquete

GESTÃO

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora?

Excelente: MT foi destruído por governos anteriores

Bom: Está enfrentando problemss que ninguém quis enfrentar

Ruim: Não faz reformas de verdade e culpa o servidor

Péssimo: Vai conseguir ser pior que Silval e Taques

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER