12.10.2017 | 07h50


A CHAPA CAIU

Vice-presidente da Unimed renuncia ao cargo; ANS quer saída de toda a direção

Os membros da diretoria são acusados de acúmulo de cargos público e privado, o que é proibido pelo Estatuto do Servidor. Unimed tem 30 dias para afastar todos os irregulares


DA REDAÇÃO

Após Agência Nacional de Saúde (ANS) negar o pedido da Unimed Cuiabá para manter a atual diretoria, devido as denúncias do de que diretores da cooperativa acumulavam cargos público e privado, o vice-presidente, Arlan Azevedo Ferreira renunciou ao cargo nesta quarta-feira (11). A medida foi uma forma de se antecipar à decisão judicial para que deixasse o posto.

O pedido ocorre um dia depois da Unimed anunciar uma nova eleição da diretoria para o mês de dezembro deste ano. Arlan teria desistido do cargo por causa da incerteza provocada por um procedimento investigativo do Ministério Público Estadual (MPE) sobre acúmulo de funções.

Com a decisão de Arlan, já são quatro que deixaram a diretoria.

Na terça-feira (10), a ANS indeferiu o pedido mandou afastar Eloar Vicenzi, como administrador da cooperativa, pelo período de 30 dias. O diretor financeiro Hudson Marcelo da Costa, já havia se adiantado e entregou o cargo. O presidente Rubens Carlos de Oliveira Júnior continua no cargo, mas deixou a função pública. 

Os membros da diretoria são acusados de acúmulo de cargos público e privado, o que é proibido pelo Estatuto do Servidor e infringe a Lei Complementar Estadual nº 4, de 1990, que estabelece a proibição aos servidores estaduais de “participar de gerência ou administração de empresa privada, de sociedade civil, ou exercer comércio e, nessa qualidade, transacionar com o Estado”.

A primeira denúncia do caso, foi feita em agosto de 2015 pelo .

Em julho deste ano, o Ministério Público do Estado (MPE) protocolou a denúncia contra o então presidente Rubens Carlos de Oliveira Júnior, o então vice-presidente Arlan Azevedo Ferreira, Hudson Marcelo da Costa, que era diretor financeiro e Eloar Vicenzi, que atuava como e o diretor de Intercâmbio e Relacionamento da Unimed Cuiabá.

À época, o diretor financeiro Hudson Marcelo da Costa entregou o cargo na Unimed e o presidente Rubens Carlos de Oliveira Júnior pediu a exoneração de seu cargo no Estado, mas permaneceu na presidência da cooperativa. Eloar se manteve até então na administração sob alegação de não manter vínculos com o Estado.

Leia mais:

ANS destitui diretoria da Unimed Cuiabá por irregularidades em eleição

Promotor do MP investiga diretoria por acúmulo de cargos público e privado

Direção da Unimed Cuiabá é investigada pelo MPE por danos aos cofres públicos











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER