16.01.2015 | 09h20


PRÉDIO DA PLAENGE

Três meses depois, Politec termina laudo que aponta causas de incêndio; falha na fiação foi a causa

Incêndio aconteceu no Sunset Boulevart, em 14 de outubro do ano passado. O documento será entregue na 2ª Delegacia de Polícia do Carumbé, que investiga o caso.


DA REDAÇÃO

O laudo pericial que irá apontar as causas do incêndio, que atingiu a rede elétrica do prédio Sunset Boulevard, da Construtora Plaenge, no bairro Araés, de Cuiabá e deixou 92 famílias desabrigadas, deve ser concluído nesta sexta-feira (16), segundo informou a Perícia Oficial de Identificação Técnica (Politec). O documento será entregue na 2ª Delegacia de Polícia do Carumbé, que investiga o caso. A falha ocorreu no sistema de fiação do prédio, que teve um curto-circuito e provocou o incêndio, segundo informou perito da Politec ao RepórterMT.

O incêndio ocorreu na madrugada do dia 14 de outubro do ano passado, quando um curto-circuito derreteu os fios elétricos do prédio, exalando uma fumaça preta e tóxica. Com isso, vários moradores relataram que fugiram pelas escadas de emergência do edifício, no escuro.  Mais de 50 homens da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar participaram da operação de resgate a vários moradores que não conseguiram sair do prédio. A última vítima só foi resgatada por volta das 13h.

De acordo com informações da Politec, os peritos analisaram por três meses, vestígios recolhidos durante a perícia no prédio, após o incidente. O projeto arquitetônico do edifício também foi analisado.

Apesar da perícia no prédio ser concluída 10 dias depois do incidente, o local só foi liberado pelos moradores para pegar pertences pessoais.

Após ficarem três dias desabrigados, as famílias fizeram uma manifestação na frente do escritório da Construtora, na Avenida São Sebastião, do bairro Goiabeiras, na Capital. Eles exigiam que a Plaenge arcasse com as despesas de moradia e alimentação. As duas partes se reuniram, porém o acordo não foi divulgado à imprensa.

RepórterMT

PREDIO'

Manifestação na frente da Construtora Plaenge.


RELATO DRÁMATICO

O morador do 18º andar, Elson Duques dos Santos contou que, por volta das 4h30, ouviu o barulho dos vizinhos gritando que o prédio estava pegando fogo. “Acordamos assustamos. Quando fui na cozinha eu vi a fumaça preta. Só deu tempo de correr, pegar a roupa do corpo, molhar um pano e fugir pela escada de incêndio com minha esposa e outros três filhos”, explicou.

Segundo Elson, a fumaça preta se espalhou pelos corredores de todos os andares, sendo impossível enxergar. “Todo mundo que teve tempo desceu pela escada correndo, houve muito pânico. Estou desde a madrugada aqui recebendo apoio dos vizinhos e aguardando algum posicionamento das autoridades”, falou.

O INCÊNDIO

O fogo começou no prédio por volta das 4h30. Ao perceberem a fumaça preta e tóxica, os moradores começaram a sair do prédio pelas escadas de emergência. No entanto, o edifício só terminou de ser evacuado às 11h30. Um bebê de apenas nove meses teve que descer 15 andares de rapel com um militar. 

RepórterMT

PREDIO'

Bombeiros tentando resgatar moradores em vários andares do prédio.

LEIA MAIS AQUI

 

Incêndio atinge prédio de luxo no Araés; bombeiros evacuam o local











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER