31.05.2019 | 17h30


ESTADO EM ALERTA

Suspeita de vaca louca é investigada em Mato Grosso

A suspeita de infecção está sendo tratada como atípica por o animal, possivelmente infectado, ter 19 anos, idade avançada para os bovinos.



De acordo com o Indea (Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso), um bovino foi diagnosticado com suspeita de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), popularmente conhecida como “A Doença da Vaca Louca”, no Estado. Por uma questão de segurança não foi divulgado o município onde ocorreu o caso.

A suspeita de infecção está sendo tratada como atípica por o animal ter 19 anos, idade avançada para os bovinos, podendo assim ter desenvolvido a doença, que ataca o sistema nervoso central do animal.

Foi descartada a possibilidade de contaminação através de alimentação, já que é o único boi doente. Caso seja confirmado o diagnóstico, a situação sanitária do Brasil não ficará comprometida, por ser considerada como contaminação atípica.

Em nota oficial à imprensa, o Indea explica que exames mais específicos foram feitos no animal, que passou por uma triagem e aguarda os resultados finais de confirmação ou não da doença. Explica ainda que todos os procedimentos cabíveis de segurança foram tomados, que faz fiscalização rigorosa nos estabelecimentos de criação e testes em toda alimentação fornecida ao gado como forma de prevenção à doença.

Mal da vaca louca

A encefalopatia espongiforme bovina, ou “mal da vaca louca”, é uma doença que afeta bovinos, na maioria dos casos através de alimentação contaminada. De evolução bastante rápida após o surgimento dos sintomas, estes animais geralmente não resistem mais do que seis meses. Dificuldade de locomoção e nervosismo são as principais manifestações observáveis, já que a doença atinge o sistema nervoso centra do animal.

O ser humano pode ser contaminado caso consuma a carne de um animal infectado com a doença, que não tem cura, é caracterizada pela rápida deterioração mental, geralmente dentro de alguns meses. A maioria das pessoas, eventualmente, entra em coma.

O tratamento se concentra em manter a pessoa o mais confortável possível.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) ainda não comentou o caso.

 

Nota Oficial do INDEA - Instituto de Defesa Agropecuária do Estado do Mato Grosso

Em relação à suspeita de encefalopatia espongiforme bovina (EEB), doença conhecida como vaca locua, em um bovino no Estado, o Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso esclarece que:

Em uma análise de rotina que faz parte do sistema de vigilância nacional para EEB foi detectado, em teste de triagem um resultado suspeito para a doença. O INDEA/MT tomou todas as providências cabíveis enquanto aguarda o resultado final em laboratório de referência.

Ressaltamos que são realizadas ações rigorosas de fiscalização em estabelecimentos de criação de gado no estado, além de rotineiros testes nos alimentos fornecidos aos ruminantes, de modo a prevenir a ocorrência da doença. O produtor rural mato-grossense conhece as normas brasileiras e está comprometido com os métodos de prevenção em vigor.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER