14.07.2019 | 07h40


AUMENTO DE 10%

MT tem 2 suicídios a cada 3 dias; redes sociais influenciam jovens

Dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública apontam 107 casos de suicídio de janeiro a maio deste ano em Mato Grosso.


DA REDAÇÃO

Casos de suicídio tiveram aumento de 10% em Mato Grosso em 2019. Voluntários do Centro de Valorização da Vida (CVV) têm notado maior incidência de jovens entre as vítimas e apontam que as redes sociais, geralmente, influenciam nesse quadro.

Conforme dados da Secretaria de Estado e Segurança Pública (Sesp), de janeiro a maio de 2019 foram registrados 107 suicídios em Mato Grosso. No mesmo período do ano passado, foram 97 casos no Estado.

Os dados de 2019 apontam que uma pessoa tira a própria vida a cada 36 horas (um dia e meio).

“Recentemente temos notado casos envolvendo jovens. Isso pode estar relacionado com a internet também, com o cyberbully”, explicou Ormar Capistrano, voluntário do CVV, em Cuiabá.

“Recentemente temos notado casos envolvendo jovens. Isso pode estar relacionado com a internet também, com o cyberbully”, explicou Ormar Capistrano, voluntário do CVV, em Cuiabá.

A internet seria um estopim principalmente pela sensação de obrigação de estar feliz o tempo todo. Estar em lugares interessantes, com pessoas legais. Ele lembra que essa não é a realidade, pois ninuém é feliz o tempo todo. “Isso se encaixa na pressão social. Já acontecia fora da internet, mas com as redes sociais tem se tornado mais forte”, alerta Omar.

Apesar de estar destacando casos vividos por jovens, aponta Omar, a depressão não escolhe faixa etária e há casos variados.  A melhor forma de evitar o suicídio está na observação e prevenção.

“Precisamos aprender a ter um olhar atencioso com as pessoas que estão à nossa volta. Ser fraterno com todos aqueles que podem estar passando por um sofrimento. Empatia pode ser uma forma de prevenção de suicídio e de outras coisas ruins, como a depressão.  Muitas vezes basta um sorriso, um gesto amigo. Uma palavra pode acabar sendo a gota d'água ou o necessário para a pessoa sair de uma situação ruim”, explicou Omar.

“Precisamos aprender a ter um olhar atencioso com as pessoas que estão à nossa volta. Ser fraterno com todos aqueles que podem estar passando por um sofrimento. Empatia pode ser uma forma de prevenção de suicídio".

Casos em destaque

Na última semana dois casos de suicídio tomaram as páginas dos noticiários. Ambos cometidos por homens que se mataram após assassinar as ex-companheiras. Outra situação de um homem encontrado morto pelo vizinho é investigada como suicídio, mas ainda não foi confirmada.

Acusado pelo assassinato de Luciana Aparecida de Silveira, encontrada morta em um hotel em Várzea Grande, na quarta-feira (10), Daniel Domingos Mendes cometeu suicídio, em uma chácara na comunidade do Barcada, zona rural de Jangada ( 76 km de Cuiabá). O corpo dele foi encontrado no período da tarde do mesmo dia, por policiais que cumpriam mandado de prisão e o localizaram enforcado por uma corda.

Na região de Sorriso, Marcos Rogério Lima, cometeu suicídio, com um tiro na cabeça, durante abordagem de policiais que o procuravam pelo assassinato de Débora de Oliveira Silva, 37 anos. Ela foi morta com um tiro de espingarda que atingiu o rosto.

Também é investigada como suicídio, a morte do barman, Danilo Peloi, de 32 anos, encontrado morto, já em estado de decomposição, na noite de quarta-feira (10), no apartamento em que morava, no bairro Araés em Cuiabá.

Testemunhas afirmam que a vítima, teria ingerido bebida alcoólica e remédios.

Segundo a Polícia Judiciária Civil (PJC), ao lado da cama de Danilo havia diversas caixas de remédios. 

Vítimas em junho

Também provocaram comoção, em junho, as mortes de Eliane Cristina da Silva, 44 anos, e do jovem Victor Hugo Fernandes, de 26 anos.

A empresária era dona de uma casa lotérica e foi encontrada morta na madrugada do dia 18, em uma fazenda no município de Curvelândia (a 281 km de Cuiabá). Conforme o marido, a vítima teria usado uma corda amarrada na varanda da área de serviço para se enforcar.

 

Victor Hugo se jogou no abismo do Portão do Inferno, no dia 13, na MT-251, estrada que liga Cuiabá a Chapada dos Guimarães. O corpo foi retirado por militares no helicóptero do Ciopaer.

Peça ajuda

O Centro de Valorização a Vida (CVV) tem realizado em Cuiabá, todas às quintas-feiras, reuniões com sobreviventes ao suicídio e seus familiares. Assim como parentes de pessoas que se mataram.

Também passou a ser gratuita e não grava as ligações feitas ao número 188. Canal de atendimento 24 horas.

Depressão

Conforme a página do doutor Drauzio Varella, no portal Uol,  a depressão é uma “doença psiquiátrica crônica e recorrente que produz uma alteração do humor caracterizada por uma tristeza profunda, sem fim, associada a sentimentos de dor, amargura, desencanto, desesperança, baixa autoestima e culpa, assim como a distúrbios do sono e do apetite”.

Diferenciar a depressão de tristezas 'comuns' é essencial para prevenir o suicídio e principalmente tratar a doença com antecedência.

“É importante distinguir a tristeza patológica daquela transitória provocada por acontecimentos difíceis e desagradáveis, mas que são inerentes à vida de todas as pessoas, como a morte de um ente querido, a perda de emprego, os desencontros amorosos, os desentendimentos familiares, as dificuldades econômicas etc”.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER