15.03.2019 | 17h55


TAXAÇÃO DE APLICATIVO

Motoristas de Uber 'cercam' Prefeitura e pedem veto de Emanuel; Lei pode inviabilizar serviço

A reinvindicação é para que o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) não sancione o projeto de lei aprovado na quinta-feira (14), que prevê a taxação do serviço de transporte na Capital.


DA REPORTAGEM

Mais de cem motoristas de aplicativos como Uber e 99 Pop 'cercaram' a Prefeitura de Cuiabá, na tarde desta sexta-feira (15), para protestar contra o projeto aprovado na Câmara Municipal, na quinta-feira (14), que prevê a taxação do serviço na Capital. O objetivo da categoria é pressionar o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) a vetar e não sancionar a lei aprovada ontem (14), pela Câmara. 

A manifestação também contou com a presença de vereadores contrários à medida, Abílio Junior (PSC), Diego Guimarães (PP) e Felipe Wellaton (PV) e Marcelo Bussiki, oposição do prefeito na Câmara Municipal.

A massa, com a supervisão da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) fechou a rua em frente à Prefeitura, com veículos e um trio-elétrico.

O representante dos motoristas Cleverson Patrick Nunes da Silva reclama que o poder público quer taxar, mas não assegura os mesmos direitos dos taxistas à classe.

“Eles podem parar em qualquer lugar para desembarcar passageiros, compram carros com impostos reduzidos, pontos estratégicos para estacionarem, e nós não”, afirma Cleverson da Silva, motorista de Uber.

“Eles podem parar em qualquer lugar para desembarcar passageiros, compram carros com impostos reduzidos, pontos estratégicos para estacionarem, e nós não”, afirma Cleverson.

Para o vereador Felipe Wellaton, foi injusta a forma como ocorreu o processo já que a população não teve voz, e é a parte que vai arcar com esse aumento.

“Sabemos que não é a vontade popular. Não podemos limitar a discussão com galerias lotadas de moto-taxistas e taxistas”, afirma o legislador.

Já Abílio Júnior defende que não seja concedida isenção fiscal aos aplicativos e alega que que eles não são uma outorga do munícipio, diferente do táxi. 

Taxação

A previsão é de que o valor seja de R$ 0,05 por quilômetro rodado. A lei se sancionada vai incluir também a taxa de R$ 155 para vistoria nos carros que prestam serviço de transporte por aplicativo.

 

Leia mais 

Vereadores 'saem no braço' em guerra de Uber e taxistas na Câmara de Cuiabá











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Enquete

GESTÃO

Como você define o governo de Mauro Mendes, até agora?

Excelente: MT foi destruído por governos anteriores

Bom: Está enfrentando problemss que ninguém quis enfrentar

Ruim: Não faz reformas de verdade e culpa o servidor

Péssimo: Vai conseguir ser pior que Silval e Taques

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER