23.01.2015 | 17h40


ÔNIBUS CARO E RUIM

Mendes autoriza tarifa de R$ 3,10 e manda licitar novas empresas de ônibus

Decisão foi tomada na tarde desta sexta-feira em reunião com Rogério Gallo e Kleber Lima no Palácio Alencastro



O prefeito Mauro Mendes assinou, na tarde desta sexta-feira (23), o decreto que reajusta a passagem de ônibus, em Cuiabá, de R$2,80 para R$ 3,10. O valor passa a valer a zero hora de segunda-feira (26).

Mendes também irá abrir licitação para novas empresas de transporte coletivo atuarem na capital.

De acordo com o procurador-geral do município Rogério Gallo o contrato de prestação de serviço das empresas está precário e já deveria ter sido substituído.

Ao RepórterMT ele explicou que o contrato de licitação feito em 2004, com validade até 2012, foi prorrogado para 2019. Agora a Prefeitura quer fazer um enfrentamento judicial e lançar o novo edital de licitação em 180 dias.

Além de autorizar o reajuste, o decreto cria duas comissões. Ambas com esse prazo de trabalho. Uma para estudar a viabilidade da licitação e outra para elaborar um plano de mobilidade urbana, que aponte melhorias às condições de tréfego do transporte coletivo na capital.

Os empresários do setor receberam o reajuste como uma boa notícia. Informam que estarão disponíveis, neste sábado, para recarga dos cartões com o novo valor os quiosques da Assoiciação Mato-Grossense dos Transportes Urbanos (AMTU), que articula o empresariado do setor. Quanto à licitação, disseram que vão aguardar o resultado do estudo de viabilidade.

Em nome do bloco de lutas por um mundo sem catracas, movimento que atua contra o reajuste da tarifa e pelo trabsporte público em Cuiabá, o historiador Eduardo Matos diz que o aumento é um desrespeito à população. "É mais um prefeito que fala uma coisa em campanha e faz outa quando governa. Mauro Mendes, em campanha, prometeu manter cobrador, preço justo, acessibilidade e nada disso é cumprido. A não ser seus acordos com os empresários", reclama. Ele assegura que vai ter reação a essa medida. "Vamos para as ruas garantir o que ja foi esquecido pelo prefeito".











(4) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Rogério Mestrinho  24.01.15 13h42
A péssima qualidade dos transportes coletivos vem de mais de 30 anos, seria necessário termos um prefeito decente e uma câmara municipal verdadeiramente atuante para elaborar leis que definitivamente mude essa realidade, para isso criei no facebook um grupo publico intitulado: “POR UM TRANSPORTE COLETIVO DE QUALIDADE EM CUIABÁ”, estou convidando o prefeito e todos os vereadores a participarem, e também convido a todos a participarem. Em minha opinião para melhoria seria necessário as seguintes leis de impacto que garantam a qualidade como: 1) Controle tecnológico do faturamento e despesas das empresas de forma transparentes – divulgação em site da prefeitura; 2) Ar condicionado em todos os ônibus, 3) Abrigo com assento e cobertura em todos os pontos, 4) limitação da quantidade de passageiros (multa em caso de descumprimento, usar os “amarelinhos” para essa fiscalização), 5) aumento da frota, 6) bagageiros na parte superior dos ônibus para os passageiros que viajam em pé, possam acomodar suas mochilas e pastas, 6) Subsídio de parte da tarifa pela prefeitura, seja utilizando parte do valor que o município arrecada com IPVA (veja o tamanho da frota de veículos cada vez mais crescente e os impostos também), multas de transito e código de postura do município, 7) Outro ponto que interfere e que em minha opinião precisa ser melhorado é nosso transito caótico, passou da hora dos nossos representantes e nós do povo cobrarmos um transito como o modelo de Brasília/DF, que não há congestionamentos, pois tem muitas passarelas e tuneis subterrâneos para os pedestres realizarem a travessia com segurança, sem intervir no transito, lá em Brasília na cidade toda há somente 3 semáforos, e não há congestionamentos. Por ultimo concluo dizendo que os outros comentários aqui estão perfeitos, mas que enquanto o povo não se unir, e cobrar de forma clara o que quer que melhore, e começar a ter um voto com qualidade, e acompanhar de perto a administração publica, não teremos êxito. Pois políticos e empresários estão unidos, e o povo desunido nunca irá vencer essa “guerra”, os exemplos estão em nossa cara, com os escândalos da Petrobrás, DNIT, telefonia e outros, nossos representantes que elegemos não defendem de fato nosso direto e bem estar, ou em outras palavras, um candidato financiado por uma empresa irá trabalhar em prol do povo? Um abraço e fique a vontade para suas criticas e sugestões.

Responder

0
0
anderson  23.01.15 21h43
2016 ta ai batendo na porta. chega de mauro mendes,chega,nao nos representa ja era. em 2016 e PROCURADOR MAURO NA CABEÇA. AGUARDEM E IRAO VER.

Responder

0
0
Cláudia Azevedo  23.01.15 21h38
Acho isso um absurdo, quando em campanha nos gamvelou com promessas. Agora o que faz? É acumunar com empresários que não esta nem ai para o povo. Poxa senhor prefeito, achei que vc fosse uma pessoa forte e capaz, Porem me mostra,ser um fraco e incapaz de ser oque demonstrou ser. Vc só prova durante sua gestão, que é igual aos que já foram gestor por Cuiabá. Palhaçada isso ,3,10$? Essas pragas de políticose e empresários são o câncer da nossa cidade. Não temos ninguém por nós..

Responder

0
0
Honesto  23.01.15 20h18
Chego a concepção de que o prefeito Mauro Mendes, não tem condições de nos representar, de tomar decisões coerente diante da realidade salarial dos trabalhadores. Quando candidato a prefeito, prometeu tomar decisões pensadas e justas, de forma que não onerasse o bolso do trabalhador. Temos sim, que, sair as ruas e protestar contra este reajuste abusivo, e por um serviço a quem da necessidade que se apresenta. O prefeito tem que entender que, a prefeitura não é sua empresa e sim uma empresa pública, onde o patrão é o cidadão. Nesse momento não aparece um vereador para protestar esse reajuste, que vergonha!!!!!!!!

Responder

0
0

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER