15.05.2018 | 11h14


FUGINDO DA CRISE

Mais 29 refugiados venezuelanos desembarcam em Cuiabá

Essa é a segunda vez que a FAB traz venezuelanos para Cuiabá. No mês passado, 70 chegaram na Capital e foram direto para a Pastoral do Migrante, no bairro Carumbé, onde estão alojados, local para onde serão levados os outros 29 refugiados.


DA REDAÇÃO

Mais 29 venezuelanos chegaram em Cuiabá na manhã desta terça-feira (15). Eles vieram em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB). Os refugiados da crise política e econômica do país em que viviam decolaram do Aeroporto Internacional de Boa Vista, Roraima, às 9h (horário de Brasília).

Segundo informações da FAB, o transporte dos venezuelanos foi feito a pedido do Governo Federal, que aproveitou que a aeronave foi levar suprimentos para uma operação na cidade. Eles estavam instalados na Capital de Roraima.

Essa é a segunda vez que a FAB traz venezuelanos para Cuiabá. No mês passado, 70 chegaram na Capital e foram direto para a Pastoral do Migrante, no bairro Carumbé, onde estão alojados, local para onde serão levados os outros 29 refugiados. 

A principal reclamação deles se refere ao preço dos alimentos no país. Em Roraima, porta de entrada dos refugiados, estima-se que 400 migrantes atravessam as fronteiras do país por dia.

A ação humanitária é coordenada pelo Governo Federal. Todas as despesas de acolhimento dos venezuelanos são bancadas pelos R$ 190 milhões liberados para o Ministério da Defesa, por meio da Medida Provisória 823/2018.

O atendimento da pastoral é feito a partir de doações recebidas. A casa pede doações de roupas, calçados, lençóis, toalhas, produtos de higiene, alimentos, colchões e colchonetes, além de móveis como camas, sofás e berços. Os telefones de contato são: (65) 3641 2413 ou (65) 3641 1451 (atendimento no período vespertino).











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Creuza  16.05.18 09h21
E nós brasileiros, vamos pra onde, para fugir da crise aqui no Brasil?

Responder

6
0

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER