20.03.2017 | 18h06


OPERAÇÃO CARNE FRACA

Maggi suspende licença de exportação dos 21 frigoríficos investigados

Após a Operação Carne Fraca alguns países importadores anunciaram restrições temporárias à entrada de carne brasileira, entre eles a União Europeia, Coreia do Sul e China



O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, suspendeu as licenças das 21 plantas frigoríficas investigadas pela Polícia Federal, na Operação Carne Fraca, para exportar carne e derivados. Nenhuma empresa fica em MT.

A decisão foi comunicada pelo governo federal na tarde desta segunda (20). "Temos que correr porque não podemos permitir o fechamento de mercados que, para reabrirmos, vai levar muitos anos", disse Maggi.

A informação de que produto que chegou à China foi proibido pelo país de ser comercializado foi confirmada por Maggi, que reiterou que uma teleconferência com representantes do parceiro comercial acontecerá para que a situação possa ser, pelo menos, minimizada. 

Já sobre a União Europeia Maggi descartou retaliação à carne brasileira. "Não há retaliação, só preocupação; a decisão [do bloco] foi de suspender as importações apenas dos 21 sob suspeita", disse. 

O ministro disse ainda que, a Coreia do Sul suspendeu, apenas, a importação da BR Foods e que a Rússia está observando a UE para ver o que fará. "Com a definição da UE começamos a clarear mais esse assunto", finalizou. 

Após a Operação Carne Fraca alguns países importadores anunciaram restrições temporárias à entrada de carne brasileira, entre eles a União Europeia, Coreia do Sul e China. Estes 3 países juntos responderam por 27% das exportações brasileiras de carne em 2016. UE: pediu que o Brasil suspenda a exportação de empresas envolvidas; CHINA: carnes brasileiras estão retidas nos portos; COREIA DO SUL: baniu frangos da BRF; empresa diz que não foi notificada; CHILE: suspendeu temporariamente a importação da carne bovina. 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER